Quem está acostumado a associar a imagem da atriz Esther Góes aos personagens femininos que interpretou no teatro, no cinema e na tevê, vai se surpreender ao vê-la em “A Estrada de Wolokolamsk”, que estreia dia 29 no Teatro Cacilda Becker. Na peça, ela interpreta três homens.

Escrito em 1987 pelo dramaturgo alemão Heiner Müller, o espetáculo transcorre durante a República Democrática Alemã (RDA) e é dividido em cinco quadros, cada um referente a um período dessa história, desde seu surgimento, no fim da 2ª Guerra Mundial, até seu desaparecimento com a reunificação da Alemanha.

A história
Ambientados em uma unidade militar russa solitária, os dois primeiros quadros, “Abertura Russa” e “Floresta Perto de Moscou”, mostram soldados que se preparam para enfrentar tropas nazistas, muito melhor equipadas do que eles. O terceiro quadro, “O Duelo”, enfoca os acontecimentos de 17 de junho de 1953, quando os alemães da RDA, já em regime socialista, tentam se revoltar contra o totalitarismo soviético. Já o quarto quadro, “Centauros”, acompanha a decadência real e simbólica do regime, asfixiado pela burocracia. E o último, “O Enjeitado”, trata da ruptura entre as gerações nas camadas dirigentes da RDA, fato que foi o estopim para a implosão do sistema.

Os personagens
“Todos os personagens da peça são homens”, esclarece Esther, “e eu, a única mulher do elenco, atuo nos três últimos quadros, interpretando três comandantes: um soviético, um alemão debochado e outro alemão totalmente confuso”. O espetáculo permite essa troca de identidades, já que tem um tom quase surrealista.

Filho de Esther, Ariel Borghi faz os dois comandantes dos primeiros quadros e se reveza, junto com os outros três atores do elenco, Marcelo Reis, Jean Dandrah e Leandro Bitar, na composição dos outros personagens.

O Teatro Cacilda Becker fica na Rua Tito, 295, Lapa. Zona Oeste. São Paulo, SP | tel. 3864-4513. Classificação: 10 anos. De 29/9 a 29/10. 6ª e sáb., 21h. Dom., 19h. R$ 20. 90 min.

 

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo / Foto: Arnaldo J G Torres