© MARCELLO CASAL JR

Estado do Rio tem grande destaque na geração de empregos segundo dados do Caged

Os jovens, entre 18 e 24 anos, se destacaram nas vagas preenchidas.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Estado do Rio de Janeiro gerou 13.097 empregos formais em março de 2021 e chegou ao 5º lugar no ranking do Novo Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged).


No comparativo com o mesmo período do ano de 2020, houve um crescimento de 138% na empregabilidade. Todos os cinco setores de atividade econômica analisados apresentaram saldos positivos, com destaque especial para Serviços, com 7.595 novas vagas. Foram gerados 2.270 empregos no setor de Comércio, 1.869 na Indústria e 1.164 em Construção. A Agropecuária também cresceu e fechou o mês com 1.869 vagas.


Os jovens, entre 18 e 24 anos, se destacaram nas vagas preenchidas. No total, 7.304 profissionais nesta faixa etária entraram ou retornaram ao mercado de trabalho. No recorte por grau de instrução, quase 80% dos postos foram para pessoas que têm o Ensino Médio Completo.

Saldo de 80 mil no acumulado dos últimos seis meses

No acumulado dos últimos seis meses, de outubro de 2020 a março de 2021, o Rio de Janeiro apresentou saldo de 80.555 postos formais. Já nos seis meses anteriores, entre abril de 2020 e setembro de 2020, houve um saldo negativo de 141.459. O último semestre apresentou um crescimento de 156,9% no saldo de empregos em relação ao ano anterior.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

IPCA vai a 0,83% em maio

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 0,83% em maio, 0,52 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de abril (0,31%). Foi o maior resultado para um mês de maio desde 1996 (1,22%). O acumulado no ano foi de 3,22%, e o dos
últimos 12 meses, de 8,06%, acima dos 6,76% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2020, a taxa havia sido -0,38%.

Comentários estão fechados.