A trégua temporária dada pela chuva especialmente em seis cidades da Zona da Mata mais duramente atingidas pelos temporais de segunda-feira permitiu a moradores, bombeiros e servidores das equipes municipais de Defesa Civil começarem a contabilizar os prejuízos. Quando a água baixou, o que a população de Urucânia, Santa Cruz do Escalvado, São Pedro dos Ferros, Rio Casca, Santo Antônio do Grama e Piedade de Ponte Nova encontrou foi muita destruição, rastros de lama em centenas de casas atingindo até dois metros de altura.

Cenário de terra arrasada: quando a água baixou, distritos das cidades de Rio Casca e São Pedro dos Ferros se viram tomados pela lama. Comunidades inteiras perderam pertences e tiveram casas comprometidas
(foto: Ramon Lisboa/EM/DA Press)

Os distritos de Águas Férreas, que pertence a São Pedro dos Ferros, e Vista Alegre, território de Rio Casca, acumularam muitos destroços e moradores passaram muitos dias limpando suas casas. Quatro pessoas seguem desaparecidas, três delas em Urucânia e uma em Vespasiano, na Grande BH. O número de mortos subiu para seis no atual período chuvoso, já que o corpo de uma adolescente de 13 anos foi encontrado também em Urucânia. O irmão e a avó da menina seguem desaparecidas na cidade.