Estácio de Sá, Porto da Pedra e Renascer de Jacarepaguá se destacaram no primeiro dia de desfiles na Sapucaí, que começou na sexta-feira (9) com as apresentações das escolas da Série A.

A abertura do carnaval de 2018 no Rio teve ainda Unidos de Bangu, Império da Tijuca e Acadêmicos do Sossego.

Na noite deste sábado (10), outras sete escolas encerram o carnaval da série A deste ano: Alegria da Zona Sul, Santa Cruz, Viradouro, Rocinha, Cubango, Inocentes e Unidos de Padre Miguel.

UNIDOS DE BANGU

Cantora Lexa, Rainha de bateria da Unidos de Bangu, no setor 1 (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

A escola foi a primeira a desfilar, e veio determinada a não deixar se repetir o que aconteceu em 2015, quando foi rebaixada de volta para a Série B. Por isso, o estouro do tempo por alguns segundos causou preocupação e confusão nos momentos finais da apresentação, e o portão acabou se quebrando. Mas entre muitos componentes o otimismo era maior. “A gente não veio só para ficar, a gente veio para ganhar”, disse a rainha da bateria da escola, Lexa, antes de entrar na avenida.

IMPÉRIO DA TIJUCA

O filho do sol e a cerimônia ritualística da vida e da morte’ é retratado na comissão de frente da Império da Tijuca (Foto: Alexandre Durão / G1)

A entrada da escola deu continuidade às referências africanas no primeiro dia de desfiles na Sapucaí. O enredo “Olubajé – um banquete para o rei” falou sobre o tradicional jantar de purificação religioso oferecido ao orixá Omulu.

ACADÊMICOS DO SOSSEGO

Componente da Acadêmicos do Sossego evolui na Sapucaí (Foto: Alexandre Durão/G1)

Com o tema “rituais”, o samba (sem nenhum verbo em toda a letra) fez referências a civilizações diversas e trouxe um apelo: “Brasil, mais tolerância. Súplica de esperança.” Em mais uma tentativa de fazer sua estreia no grupo especial, a escola cumpriu a promessa de misturar culturas, e representou num mesmo desfile de elementos culturais muçulmanos a judeus, passando ainda por cristãos, egípcios e celtas.

PORTO DA PEDRA

Porto da Pedra lembrou a era de ouro do rádio (Foto: Alexandre Durão/G1)

Uma homenagem às rainhas do rádio tomou conta da Sapucaí durante o desfile da Porto da Pedra, que apostou em uma apresentação bem-humorada em sua sexta tentativa seguida de voltar ao grupo especial.

A escola de São Gonçalo trouxe a história de dez cantoras que marcaram a história do rádio no Brasil: Linha e Dircinha Batista, Marlene, Dalva de Oliveira, Mary Gonçalves, Emilinha Borba, Ângela Maria, Vera Lucia, Dóris Monteiro e Julie Joy.

RENASCER DE JACARÉPAGUÁ

Meste-sala e porta-bandeira da Renascer de Jacarepaguá (Foto: Alexandre Durão/G1)

A escola elegeu o compositor Heitor Villa-Lobos como homenageado do desfile, que explorou a obra “A Floresta do Amazonas” – a começar pela comissão de frente, que trouxe representações dos sons da Amazônia com animais, árvores e índios.

ESTÁCIO DE SÁ 

Intgegrante da comissão de frente da Estácio de Sá (Foto: Alexandre Durão / G1)

O primeiro dia de desfiles no Rio terminou com uma homenagem ao fundador da cidade, Estácio de Sá, que também dá nome à escola. No enredo, sua história foi usada como pano de fundo para falar sobre a evolução do comércio no Brasil.

Fonte: G1