Essa se chama “Teatro”

Uma leitura para refletir, para apreciar e se apaixonar.

As cortinas se abriram
A luz pôde me mostrar
O que um sonhava
O outro nem imaginava vivenciar

As palavras eram ensaiadas
Era muita vontade de enganar
A cada dia que passava
No seu jogo eu afundava

Finge virar os olhos pra acabar o teatro
Quando eu não estiver mais por perto
Acorde, olhe pro lado e nos veja no porta retrato
Quando nosso amor ainda não estava em pedaços

O circo fechou, palhaço cansou
Fiz o papel que você sempre desejou
Desisti de entender sua loucura
Por que covardia não tem cura

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também