As 143 alunas de balé que participam das aulas na Casa da Educação mostrarão o talento e desenvoltura adquiridos nas aulas durante todo o ano em apresentações especiais para os pais e responsáveis quarta e quinta-feira (04 e 05/10) no Theatro Dom Pedro. Serão 21 apresentações com o tema “Aldeia Encantada”. Para muitas delas será a primeira apresentação no palco de um de um teatro. Esse é o caso das irmãs Maria Eduarda, de 12 anos e Eloá, de 8 anos. A mãe das meninas, Cíntia Vieira Gonçalves, conta que elas começaram a participar das aulas esse ano.

“Elas amam as aulas. A mais nova sempre sonhou em fazer balé. A mais velha ficou apaixonada já na primeira aula. Depois das aulas elas melhoraram na disciplina, ficaram mais responsáveis e têm uma relação afetiva com a professora. Como mãe estou com a emoção a flor da pele! Muito ansiosa para viver esse momento que será um marco na vida delas. É a primeira vez que terão a oportunidade de visitar o Theatro e se apresentar nesse grande palco. É um momento ímpar. Nesse ano, graças ao balé, elas também tiveram a oportunidade de conhecer e bater um papo com a bailarina Ana Botafogo, foi emocionante”, explicou Cintia.

As bailarinas têm entre 4 e 17 anos. Todas estudam em escolas da rede municipal de ensino. Elas participam das aulas de balé no contraturno da escola às segundas, quartas e sextas, na Casa da Educação. As aulas são ministradas pela professora Sara Lopes.

“Essa é mais uma iniciativa de sucesso da Casa da Educação Visconde de Mauá. As crianças adoram as aulas e terão a oportunidade de mostrar tudo o que aprenderam para os pais e familiares. Agradeço à professora pela dedicação e aos pais pela confiança no trabalho”, disse o secretário de Educação, Anderson Juliano.

Serão 21 apresentações direcionadas para os pais e responsáveis, quarta e quinta-feira (04 e 05/10) a partir das 19h –  no Theatro Dom Pedro.  O roteiro e a criação são da professora. “Aldeia Encantada” conta a história de duas irmãs. Uma delas se perde na floresta a outra sai a sua procura. Por conta de uma maldição, a irmã perdida se torna uma ovelha e, para resgatá-la, a outra menina precisa encher a vila de alegria e quebrar o feitiço.

“A história foi pensada para exaltar a criatividade, com figurinos coloridos. Para a maioria das bailarinas, será a primeira vez que terão a oportunidade de se apresentar no Theatro Dom Pedro e elas estão ansiosas por isso. As aulas de balé melhoram a coordenação motora, aumenta a concentração e flexibilidade, além de melhorar a postura, estimular o desenvolvimento intelectual e a criatividade, melhora a expressão corporal e a memória, aumenta a autoestima e a sociabilização”, explicou Sara.

Atualmente, a Casa da Educação tem 15 turmas de balé, que reúnem 143 alunas. Ana Maria Ferreira da Silva está ajudando na confecção das roupas das bailarinas para o espetáculo. “Faço questão de ajudar. Minha filha já participa das aulas há três anos e, desde então, melhorou muito na perda da timidez. Como mãe, estou ansiosa, até mais que ela!”, contou.

As alunas também são apaixonadas pela arte da dança. “Desde que comecei a participar das aulas, meu sonho em ser bailarina cresceu. Quero muito seguir a carreira”, contou Ana Beatriz Pail, 17 anos.

“É uma alegria poder participar das aulas. Já me imagino no palco do Theatro Dom Pedro”, disse Júlia Burger, de 12 anos.

O número de alunos atendidos nas aulas de balé na Casa da Educação dobrou nesse ano de 2017.

“É um prazer e um privilégio enorme estarmos realizando o espetáculo das bailarinas da Casa da Educação em 2017, pois só tivemos conquistas neste ano. Adequamos a sala se artes, providenciamos espelho, aumentamos o número de vagas em 50% e temos pais bastante envolvidos. A garra da professora Sara Lopes é o elemento mais essencial desta conquista”, explica a diretora da Casa da Educação, Catarina Maul.