Apontada como uma das favoritas ao título, a seleção espanhola enfrentou o Irã que era o líder da chave em função de sua vitória sobre o Marrocos e o empate entre Espanha e Portugal, os europeus eram favoritos e estavam pressionados a vencer, pela superioridade técnica e evitar o nascimento de uma nova crise no time que sentiu a saída de Lopeguetti as vésperas do certame.

Na maior parte do tempo a fúria ficou no ataque e pressionou a seleção do Oriente Médio que limitou-se a defesa e com muita qualidade, tanto que conseguiu segurar um dos ataques mais fortes do campeonato por 45 minutos levando um empate no intervalo.

O ditado popular diz que ” água mole em pedra dura, tanto bate até que fura ” e Diego Costa conseguiu furar a muralha iraniana e marcar o gol da vitória espanhola, importante para deixar o time com 4 pontos e junto a seleção portuguesa na zona de classificação, além disso o brasileiro naturalizado espanhol chegou a 3 gols e é o segundo maior artilheiro desta edição do mundial, atrás apenas de Cristiano Ronaldo que soma 4 gols após dois jogos.

Os asiáticos chegaram a empatar, com o recurso do árbitro de vídeo, o gol que poderia render a classificação ao Irã acabou corretamente anulado, depois do gol o time saiu mais ao ataque e mesmo pressionando, esbarrou na qualidade técnica do adversário e em sua inferioridade ofensiva.

(imagem FIFA)