Escolas particulares do RJ já têm fila de espera para turmas remotas em 2021

Mesmo com a resolução do CNE (Conselho Nacional de Educação) que permite as atividades remotas para a educação até o fim de 2021, escolas particulares do RJ avaliam que o cenário ainda é incerto e depende da vacina contra covid-19.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Mais da metade dos pais de alunos de escolas particulares não querem o retorno das aulas presenciais antes da vacina contra a Covid-19. Uma pesquisa encomendada pelo Grupo União pelas Escolas Particulares de Pequeno e Médio Porte indica que 51,6% dos entrevistados querem que os filhos permaneçam com aulas online. Enquanto isso, 26,3% querem que as aulas sejam presenciais. O levantamento foi feito com 14.307 responsáveis de estudantes de 407 escolas de todo o país, pela empresa Explora – Pesquisas, Métricas e Inferências Educacionais e colheu as opiniões dos pais e responsáveis sobre o regime de ensino remoto.

É o caso dos pais dos alunos da Recreio Christian School, situada no bairro do Recreio. A única escola que também atende alunos com TDAH na América Latina continua promovendo aulas lúdicas e fazendo a criança estudar de forma independente, sem demandar muito dos pais. Com isso, durante a pandemia, conseguiu aumentar o número de alunos em 17%. Segundo informou o CEO da rede, Gabriel Frozi, o aumento da procura se deve ao foco de atuação da instituição de ensino que apostou em atividades lúdicas mesmo à distância.

O fundador da escola informa, também, que mesmo em meio à pandemia a previsão que até o fim deste ano praticamente todas as unidades tenham turmas 100% fechadas para o formato híbrido, que mescla aulas presenciais com aulas online. “A procura tem sido grande por este tipo de ensino, por isso, nossa expectativa é bastante positiva. Saímos na frente quanto ao método, já nos programando para o próximo ano. Quanto às aulas online, estamos em contato direto com os pais e o retorno é o melhor possível. Mesmo sendo um sucesso, vamos continuar estudando as melhores formas de mantermos a qualidade do nosso ensino, sem que isso represente risco para os nossos alunos e profissionais. Por enquanto, vamos manter esse sistema, porém, mirando às adaptações para 2021”, afirma Frozi.

O CEO conta que no início do período de isolamento social muitos pais temiam pela queda na qualidade do aprendizado dos filhos. Porém, o corpo docente da Recreio Christian School observou que o desempenho dos alunos melhorou cerca de 38% durante a quarentena. “Isso é resultado da adaptação das atividades lúdicas que eram propostas em sala de aula para o formato online. Tem sido um sucesso, inclusive para os pais, já que nosso formato vai na contramão de toda essa dor de cabeça que tem sido o ensino remoto no Rio, por exemplo”, diz Gabriel.

Para manter a atenção dos alunos, até dos que possui o déficit dela, os professores inventaram iniciativas para que a escola se mantenha presentes na vida deles. Estimulam iniciativas para trazer o ânimo de volta por meio de acesso de aluno na plataforma story das aulas e debates online. Para os pais a escola oferece s dicas de possíveis caminhos para tornar a rotina em casa mais tranquila, alinhando trabalho, estudo e tarefas domésticas.

Sobre Gabriel Frozi: Aos 45 anos ele se reinventou, deixou uma carreira de advogado consolidada para trás, e partiu em busca de uma lenda pessoal: montar a primeira escola da América Latina bilíngue especializada também em alunos com Transtornos de Déficit de Atenção, após a filha ser diagnosticada com o TDAH. Hoje ao lado da caçula, a cantora Vitória Frozi, que inspirou a fundação da escola, ele treina gratuitamente os professores da rede pública do Rio de Janeiro e oferece cursos gratuitos para os moradores em situação de rua.

Sobre Recreio Christian School: Escola bilíngue cristã, localizada no bairro do Recreio, Rio de Janeiro/Brasil. Com Sistema de avaliação próprio, que prioriza a participação em sala de aula, o comprometimento com os deveres de casa e a atuação em projetos sociais, é um dos diferenciais da RCS, onde as provas bimestrais representam apenas 30% do sistema de avaliação a RCS atende turmas do 6º ano ao 3º ano do Ensino Médio. Prepara os alunos de 11 a 16 anos para melhores universidades do Brasil e do exterior, além de ser a única escola da América Latina com toda equipe especializada em alunos com TDAH.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.