Inédita no país e obrigatória na rede municipal de ensino, a política pública de Defesa Civil nas Escolas ganhou espaço nas salas de aulas dos colégios particulares da cidade. Nesta terça-feira (13.11), os 13 alunos do 3º ano da Escola Nosso Universo Centro Educacional (CENU) estiveram na sede da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias para conhecer a estrutura do órgão e conversar com os técnicos da pasta. As crianças também conheceram e brincaram com o jogo da Turma do Pedrinho, que ensina de forma lúdica as medidas adotadas em casos de emergências e questões de educação ambiental.

Iniciativa da prefeitura, a aplicação da lei é um passo importante no desenvolvimento de uma cultura de resiliência na cidade, com a orientação das crianças sobre como se comportar em caso de ocorrências. Petrópolis é pioneira no país com a lei, que foi sancionada e publicada em Diário Oficial, buscando garantir um futuro mais seguro para os petropolitanos.

“Se o Defesa Civil nas Escolas fosse criado há 20 anos, hoje a nossa realidade seria bem diferente. O projeto é uma medida a longo prazo, que vai trazer diversos benefícios para o futuro da nossa cidade. A participação das escolas particulares também é importante, já que a informação vai chegar a mais crianças e adolescentes. A discussão do tema em sala de aula é de grande importância para Petrópolis”, pontua o prefeito Bernardo Rossi.

Com 234 áreas de risco alto ou muito alto – equivalente a 18% do município – e um déficit habitacional de 12 mil casas, a política pública é mais uma ação da prefeitura de prevenção aos desastres naturais. A iniciativa vai reforçar todas as ações que trabalham a importância da prevenção não só no ambiente escolar, mas, também na comunidade.

“A ideia de transformar a forma de pensar da população passa diretamente pelo ensinamento nas escolas da rede municipal. Desde o início da gestão do prefeito Bernardo Rossi, estamos trabalhando de forma antecipada, com foco na prevenção aos desastres de origem natural”, explica o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz.

Segundo a coordenadora da Escola CENU, Fernanda Campos, a instituição já pensava em trabalhar o tema de prevenção aos desastres de origem natural, mas não sabia a forma correta de fazer. A partir do momento em que houve o convite da Defesa Civil, os alunos começaram a trabalhar o tema tempestade de raios como ameaça deste semestre.

“Preparamos dicas de como as crianças podem se precaver dentro de casa e na rua. Fizemos uma apresentação que foi bem bacana, discutindo sobre os perigos dos raios. Em uma cidade como a nossa, a iniciativa da Defesa Civil é fundamental para que a gente tenha adultos conscientes no futuro”, disse Fernanda.

Além da Escola CENU, as escolas particulares que também aderiram ao Defesa Civil nas Escolas até o momento são oSeminário Diocesano de Corrêas; o Bom Jesus Menino Jesus de Itaipava; o Centro Educacional Primeiros Passos; o Centro Educacional Corrêas e a Escola Sesi Petrópolis.