Escolas de Petrópolis que são pontos de abrigo para vítimas das chuvas, passam por biodescontaminação

A sede da Secretaria de Educação, que teve o primeiro andar alagado pelo temporal, também vai passar pelo serviço.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

As escolas municipais que são pontos de apoio para as vítimas da chuva, além do Colégio Rui Barbosa estão passando por biodescontaminação. O trabalho começou nesta quinta (4) e segue até sexta-feira (4) em 15 pontos. A sede da Secretaria de Educação, que teve o primeiro andar alagado pelo temporal, também vai passar pelo serviço, que está sendo oferecido, gratuitamente, pela empresa SAS Biotech.

“Toda essa tragédia que aconteceu com Petrópolis fez surgir uma onda de solidariedade. Só temos a agradecer a todas as pessoas, empresas e outras prefeituras que fizeram doações e ofereceram serviços para dar apoio às vítimas das chuvas e ajudar na recuperação da cidade”, disse a secretária de Educação, Adriana De Paula.

O gerente administrativo da SAS Biotech – filial Rio de Janeiro – Cristiano Ramos, explica que a biodescontaminação tem validade de 90 dias e que os produtos usados não são tóxicos, livrando o ambiente de vírus e bactérias. “Tínhamos que fazer algo pela cidade depois de toda essa tragédia. O objetivo é deixar um ambiente protegido para as famílias que estão aqui e pensando também no retorno das aulas”, comentou.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.