Escola Municipalizada Santa Terezinha é escolhida para integrar o Programa “Escolas Solidárias”

Unidade foi destaque no 1º Prêmio de Aprendizagem Solidária Experiências Que Transformam em 2020.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Após conquistar o 1º lugar na categoria 3 do 1º Prêmio Aprendizagem Solidária – Experiências que transformam, promovido pela Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária (RBAS), em 2020, a Escola Municipalizada Santa Terezinha, no Vila Rica, tem novo motivo para comemorar: nesse ano, a escola foi escolhida para integrar um novo projeto, dentro do programa Escolas Solidárias. A ação é resultado do protagonismo da escola e trabalho positivo efetuado pelos alunos premiados em 2020, que mostrou a importância da reciclagem do lixo na comunidade e a conscientização e ajuda da população. Agora, através de suporte metodológico, a escola está se preparando para implantar novas técnicas de aprendizagem solidária que envolverão toda a comunidade. Vale destacar que o programa “Escolas Solidárias” é coordenado pela Associação Movimento Futuro, que integra a Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária.

O projeto “Escolas Solidárias” acontece em alguns países como Argentina, Peru, Chile e no Brasil, atualmente, está em quatro escolas: três em São Paulo e uma no Rio de Janeiro, na Escola Municipalizada Santa Terezinha. A iniciativa consiste em reuniões periódicas com a equipe da escola envolvida na ação – gestores e professores- que têm a oportunidade de participar de formações à distância promovidas pela Associação Movimento Futuro em parceria com o Centro Latino Americano de Aprendizagem e Serviço Solidário (CLAYSS).

“Ótima oportunidade para a escola e comunidade. Professores estão participando das formações e serão os responsáveis por multiplicar todo o aprendizado, levando sempre em consideração o que os levou até a esse patamar, a preocupação com o descarte correto, as técnicas de reciclagem e o cuidado com o Meio Ambiente, além da conscientização dos moradores do local e o sentimento de pertencimento, do cuidado que eles devem ter com a sua comunidade”, explica o prefeito interino, Hingo Hammes.

Até agosto, a escola apresentará seu planejamento, de que forma seu plano interventivo de aprendizagem solidária será implantado na comunidade, levando em consideração conceitos como: diagnóstico, planejamento e execução. A comunidade está opinando em todas as fases do planejamento, tendo, inclusive, participado de reuniões com os representantes do projeto.

Prêmio e consagração

Importante destacar que todas as escolas participantes em todo o Brasil do projeto já tinham iniciativas em andamento e foi esse o caso da Escola Municipalizada Santa Terezinha. Em 2019, alunos do 9º ano da EM Santa Terezinha, junto com os professores Ana Carolina Kapler e Ronaldo Yallouz, percorreram o bairro e registraram o maior problema encontrado por eles: o lixo.

“A escola foi premiada no ano passado por um projeto sobre reciclagem, mostrando como a comunidade poderia ser um parceiro nas ações de cuidado e conscientização. Agora, graças e esse trabalho que começou lá atrás com os alunos de 9º ano, a escola conseguiu formação para os professores envolvidos no projeto e a chance de ampliar essa ação, pensando em novas iniciativas, sempre com o viés de cuidado com o Meio Ambiente, interação e participação da comunidade em todas as iniciativas. A escola está de parabéns”, confirma a secretária de Educação, Marcia Palma.

Em 2019, alunos e professores da EM Santa Terezinha inovaram: fizeram panfletos, produziram um vídeo e conversaram com os moradores sobre a importância do descarte correto do lixo. No ano seguinte, o projeto da Escola Municipalizada Santa Terezinha foi finalista com mais 8 projetos de escolas de todo o Brasil. A colocação de 1º lugar, na categoria 3 – Instituições de Educação Básica II – garantiu, inclusive, a participação virtual no Seminário Internacional de Aprendizagem Solidária que acontecerá em Buenos Aires, nesse ano.

“Saímos pelo bairro observando e anotando tudo o que poderia ser considerado um problema. No retorno à escola debatemos e chegamos à conclusão de que o que mais incomodava era a questão do descarte incorreto do lixo. Pensamos em uma forma de amenizar a situação. Daí surgiu o projeto. Criamos argumentos de conscientização, descarte correto de lixo e conseguimos o 1º lugar. Graças a esse resultado, as ações de conscientização que envolvem toda a comunidade estão tendo continuidade. É o caso da Horta Sustentável que está sendo construída na escola. Vai servir como polo de estudo e também como ponto visível de transformação do Meio Ambiente através de ações assertivas de conscientização ambiental”, explica a professora Ana Carolina, que, atualmente, é subsecretária de Educação.

Novas Metas

Em novembro, as equipes das escolas que estão participando do programa “Escolas Solidárias” terão oportunidade de apresentar seus projetos no 3º seminário de Aprendizagem Solidária no Brasil. A Escola Municipalizada Santa Terezinha recebeu verba de mais de R$ 6.500 para implantar suas metodologias. O que será apresentado ainda está sendo formulado pelos professores envolvidos no projeto, no entanto, as reuniões com as formações são periódicas e acompanhadas por Isabella Alchorne e Sofia Carvalho, da Associação Movimento Futuro, que integram a Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária (RBAS).

“A escola nos surpreendeu com a simplicidade de seu trabalho que tem um impacto enorme na comunidade onde está inserida através do cuidado com a reciclagem, um impacto social de grande importância. Estamos animados esperando pelo próximo planejamento da escola”, contou Sofia.

A Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária tem como grupo de trabalho executivo as seguintes organizações: Centro de Estudos em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC), do Instituto Singularidades, da Associação Movimento Futuro, da Organização dos Estados Ibero-americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI) no Brasil e da Mori Educação, com o apoio do Centro Latino-americano de Aprendizagem e Serviço Solidário (CLAYSS).

No dia 10 de junho, os professores da Escola Municipalizada Santa Terezinha participarão de uma programação especial para apresentação de todos os projetos escolhidos no Brasil para integrarem o Programa Escolas Solidárias. O evento, chamado “Trocando Ideias Solidárias” será transmito pelo YouTube da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária, das 16h às 18h.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.