A parte esportiva e lúdica do Programa Promotores da Paz, desenvolvido pela Guarda Civil e pela Secretaria de Educação, foi realizado nesta terça-feira (14.11) com a escola Metodista. No total, 63 alunos de 8º e 9º anos, com idade entre 13 a 16 anos, participaram dos Jogos Proppaz. As atividades recreativas, como futebol, pular corda, corrida, entre outras, aconteceram na quadra Gol de Placa, que fica na Rua Washington Luiz, no Centro.

É a primeira vez que o colégio recebe o Proppaz. A fase de aulas em sala já foi finalizada. Depois dos Jogos desta terça, eles vão participar da ação “Guarda por um dia”, que encerra o conteúdo do curso. A realização do Programa Promotores da Paz foi bem recebida na escola.

“Foi uma oportunidade de conhecer melhor a realidade do mundo em que vivemos. No início, eles ficaram receosos em relação aos guardas, mas quando se abriram para o programa, entenderam a importância deles ali. A partir de agora, eles vão ter mais noção da vida, da situação do local onde eles moram”, destaca a inspetora Juçara Alves de Abreu, que acompanhou os alunos durante os Jogos Proppaz.

A aluna do 9º ano, Isabella Justen, de 16 anos, interagiu bastante com os guardas e os colegas no decorrer das atividades recreativas. Ela também considera que o Proppaz transformou a vida dela.

“Gostei muito dos Jogos porque é uma chance de dar uma descontraída. O Proppaz foi importante porque abriu a minha mente sobre todos os assuntos tratados, como as drogas e o respeito as outras pessoas. Com certeza mudou a minha vida”, diz ela.

O Proppaz trata de cidadania, valorização da família, cultura da paz, educação para o trânsito, prevenção ao uso de drogas e motivação. O curso existe há nove anos e já formou mais de 2,3 mil alunos. Neste segundo semestre, são cerca de 550 participantes de escolas do Morin, da Estrada da Saudade, além do grupo de patrulheiros e de jovens em condição de vulnerabilidade social que participam do projeto “Eu construo meu amanhã”, ambos na Comac.

“Esse é o objetivo principal do Proppaz: transformar a vida destes estudantes. São eles que vão tornar a nossa cidade e nosso mundo melhor e essa é importância deste trabalho”, afirma o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni.

“A escola é o ponto de partida para esta transformação. Temos dado todo suporte necessário para o trabalho da Guarda, porque sabemos que isso terá um reflexo muito positivo no futuro”, considera o secretário de Educação, Anderson Juliano.