Foto: Divulgação

Enel Distribuição Rio dá dicas de economia e segurança para iluminação de Natal

Distribuidora orienta sobre como instalar decorações luminosas sem riscos e utilizando energia de forma eficiente
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

As luzes coloridas de Natal já estão enfeitando casas, prédios, praças e comércios das cidades. Apesar da beleza que toda a decoração proporciona, ela também pode oferecer riscos às pessoas. É preciso utilizar a energia elétrica com eficiência e segurança para decorar árvores de Natal, jardins, praças, varandas, janelas, shoppings e lojas. Por isso, a Enel Distribuição Rio alerta para alguns cuidados com a montagem e a manutenção dos enfeites natalinos em ambientes internos e externos para garantir a segurança.

A maior parte dos acidentes com eletricidade acontecem por falta de informação, atenção ou pelo uso inadequado de materiais e ferramentas. O fogo pode começar por algum curto-circuito na rede elétrica ou pelo uso prolongado das luzes, que superaquecem e queimam. Além disso, é preciso ficar atento para o aumento do consumo de energia a que estão expostos.

A responsável de Saúde e Segurança da Enel Rio, Priscilla Raeder, explica que é comum que os enfeites e pisca-piscas sejam aproveitados de um ano para o outro. “A recomendação é que os clientes verifiquem as condições desses fios e se estiverem ressecados, rachados, rompidos ou se houver lâmpadas quebradas, evitem usá-los, pois um enfeite pode colocar toda a decoração em perigo”, alerta.

Priscilla também chama a atenção para o uso de ‘T’s nas instalações, um risco comum não só na época de arrumar a decoração natalina, mas que muitas pessoas estão expostas frequentemente sem sequer perceberem. “O acessório concentra intensidade de correntes elevadas em um só ponto, que podem provocar aquecimento, derretendo o “T” e causando um princípio de incêndio. Além disso, sendo um ponto quente, ele automaticamente aumenta o consumo, já que a energia é transformada em calor sem nenhuma utilidade e é desperdiçada”, ressalta.

A distribuidora orienta que os clientes também estejam atentos à instalação de adereços luminosos na área externa da residência. Se não forem adotadas medidas preventivas, as chances de choque elétrico e curto-circuito são maiores, já que a ação do tempo pode ressecar a fiação e a presença de água pode potencializar os efeitos da condução da corrente elétrica. 

Como economizar energia

Na hora de adquirir os “pisca-piscas”, é importante verificar a informação dada em watts (W), contida na embalagem, que corresponde à potência demandada por determinado produto. Quanto maior for a potência, maior será o consumo do enfeite natalino. Vale lembrar também que deixar o pisca-pisca aceso por mais tempo vai gerar um consumo de energia. Outra boa dica é utilizar produtos com a tecnologia LED que, além de contribuírem para a redução de até 80% do consumo de energia, também são mais seguros.

Outras dicas de segurança:

– Desligue o pisca-pisca da tomada de energia ao substituir lâmpadas e nunca execute esse procedimento puxando a tomada pela fiação;

– Revise as instalações elétricas da residência antes de iniciar a decoração;

– Na compra dos artefatos luminosos, procure os produtos homologados e com selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Produtos sem a homologação podem provocar superaquecimento, curto-circuito e princípio de incêndio;

– Não coloque as luzes próximas a enfeites feitos de papel ou cartolina. O ideal é não usar esse tipo de decoração na árvore se for utilizar pisca-piscas;

– Estabeleça um horário definido para ligar e desligar. O ideal é das 18h à meia-noite, evitando desperdício de energia e riscos de acidentes e princípio de incêndio;

– Evite deixar a instalação em área sujeita à chuva ou alagamento e não deixe a fiação ao alcance de crianças ou pets;

– Não instale o conjunto de lâmpadas decorativas em estrutura metálica e pontiaguda;

– Não permita que crianças manuseiem os pisca-piscas, cordões e fitas luminosas, deixando-os fora do alcance de menores ou pets;

– Os fios desencapados provocam choques, curtos-circuitos e, às vezes, incêndios. Passar fios por baixo de tapetes ou por trás de cortinas também pode causar incêndios.

– Nesta época do ano, além da iluminação, as pessoas costumam soltar fogos de artifício. Tenha cuidado com os artefatos, não solte perto das redes de energia porque podem provocar incêndios, falhas na rede e acidentes.

Fachadas de prédios ou comércios

Contrate serviço de um engenheiro, técnico ou eletricista para dimensionar a fiação e a proteção do circuito de acordo com a carga a ser ligada;

Para instalações em fachadas, verifique a proximidade com a rede de energia, pois em casos de chuvas e ventos fortes, a iluminação decorativa pode vir a tocar a rede elétrica e provocar curtos-circuitos.

Em caso de acidente:

Isole o local para que não haja a aproximação de pessoas e jamais toque em fios partidos;

Não retire objetos ou pessoas que estejam em contato com fios até que um profissional qualificado assegure que a energia foi desligada;

Acione imediatamente o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193, e a Enel Distribuição Rio pelo 0800 28 00 120.

Sobre a Enel Distribuição Rio

A Enel Distribuição Rio, subsidiária da multinacional italiana Enel, atende 66 municípios do estado do Rio de Janeiro, abrangendo 73% do território estadual, com cobertura de uma área de 32.188 km². A Região Metropolitana de Niterói e São Gonçalo e os municípios de Itaboraí e Magé representam a maior concentração do total de 2,7 milhões de clientes atendidos pela companhia. A estratégia de atuação da Enel é baseada no seu Plano de Sustentabilidade e nos compromissos assumidos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.