Foto: Reprodução

Em meio a manifestações e incertezas, corrida presidencial pelos EUA segue sem resultado

Depois de dois dias de apuração de votos, tudo aponta para um cenário favorável para o candidato democrata Joe Biden, mas o jogo ainda pode virar com contagem dos votos em quatro Estados-chave

Por Guilherme Campbell

            A eleição dos EUA ainda não chegou a um resultado, o candidato pelo partido democrata Joe Biden segue na liderança, com 264 dos delegados, mas o resultado final depende da apuração de 1,7 milhão de votos em quatro Estados-chave: Geórgia, Arizona, Nevada e Pensilvânia. A vantagem do democrata ativou a estratégia judicial de Trump pelo pedido de recontagem dos votos em Wisconsin e suspendessem a apuração em Michigan e na Pensilvânia.

            Manifestantes armados favoráveis a Donald Trump protestaram em frente ao centro de contagem de votos do condado de Maricopa, onde fica Phoenix, maior cidade do Arizona após fake news de que os votos não estavam sendo contados. Em Detroit, no Estado de Michigan, a polícia foi acionada para impedir que cerca de 30 pessoas, a maioria republicanos, entrassem em um local onde os votos estão sendo apurados em meio também de alegações de que a contagem no Estado estava sendo fraudulenta.

            Em outros estados manifestantes contrários a Trump exigiam que a apuração continuasse dos votos continuasse após, Trump ter anunciado, em seu Twitter oficial, vitória antes dos resultados nos estados Pensilvânia, Georgia e Carolina do Norte.

            Até as 11h de hoje, Biden lidera nos votos, considerando que ele ganhou no Arizona. Já o presidente Donald Trump contava 214 delegados. A expectativa é de que Nevada divulgue sua apuração por volta das 13h (horário de Brasília). Caso seja confirmada a vitória de Biden no estado, o qual liderava por menos de 1 ponto percentual na manhã de hoje. Confirmando a vitória no Arizona e Nevada, Biden seria eleito independentemente do resultado nos demais estados.

Foto: Guilherme Campbell
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também