Eleições 2018: Celular é proibido apesar do incentivo de uso do app e-Título

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Apesar do incentivo para baixar o app e-Título nos smartphones, não será autorizado o uso do aparelho na hora do voto.

O e-Título serve para identificar o eleitor antes dele entrar na cabina de votação. Durante a escolha dos candidatos o eleitor não poderá manusear o aparelho celular.

A justificativa do TSE é a privacidade do voto que deve ser garantida e por isso são proibidos todos os aparelhos que possam fazer algum registro do voto do eleitor ou da cabina eleitoral.

A Justiça Eleitoral proíbe o uso de celulares na cabine de votação, além do uso de qualquer equipamento eletrônico, como celulares, máquinas fotográficas e filmadoras.

Quando o eleitor se apresenta na mesa receptora o mesário deve verificar se ele está com um celular ou com outro aparelho. Se estiver é preciso deixar o aparelho na mesa receptora antes de entrar na cabine de votação. Se um eleitor for flagrado com um celular ou outro aparelho de gravação dentro da cabina, ele pode ser condenado por quebra do sigilo do voto, um crime eleitoral.

Também não é permitido usar o celular para anotar os números dos candidatos, mas a Justiça Eleitoral permite que o eleitor leve uma “cola” com os números dos candidatos.

Essa “cola” deve ser em papel. No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é disponibilizado um documento que pode ser impresso e preenchido com os números dos candidatos.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.