Responsáveis decidiram formar uma comissão de pais para protestar contra a impugnação da candidatura de uma professora após a Secretaria de Educação indicar um nome para ocupar o cargo.

Pais e responsáveis dos alunos da Escola Municipal Maria Campos da Silva, localizada no Centro de Petrópolis, decidiram formar uma Comissão de Pais para discutir a posse da nova diretoria da instituição de ensino, indicada pelo Secretário da Educação, Anderson Juliano.

Eles criticam a decisão do Secretário em impugnar a candidatura ao cargo de diretoria de uma ex-funcionária da escola, que já havia atuado na unidade como diretora adjunta. Os pais afirmam que não houve transparência por parte da Secretaria de Educação, uma vez que a nova diretora não pertencia ao quadro de funcionários da unidade, e que a mesma perdeu a eleição ocorrida na escola onde atuava.

Os pais alegam ainda que a impugnação da candidata ao cargo seja ilegal. De acordo com a comissão, o secretário não teve motivo para impugnação, e a professora foi a única a se candidatar ao cargo após a saída da diretora geral.

Em nota, a Secretaria de Educação disse que “a única candidata inscrita para concorrer à eleição de diretora da E. M. Professora Maria Campos teve sua candidatura impugnada, antes mesmo da eleição, com base no Art. 10 da resolução nº 027 de 20 de outubro de 2017, que instituiu os procedimentos de eleição para diretores, conforme o prevê a Lei 7.121 de 19 de novembro de 2013”.

Ainda de acordo com o texto, “como não havia nenhuma outra candidata para concorrer ao cargo, a Secretaria de Educação indicou uma profissional para assumir o cargo na unidade de ensino, além de diretoras adjuntas e orientadora”.

Nesta terça-feira (09), a comissão de pais fará uma manifestação em frente a Secretaria de Educação, reivindicando a saída da diretora empossada e cobrando respostas quanto a impugnação da candidatura da professora.