O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, participou do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção na tarde desta sexta-feira, na Fundação Getúlio Vargas. O encontro reuniu acadêmicos, autoridades e entidades da sociedade civil que discutiram temas como iniciativas de prevenção à corrupção, repressão aos crimes de corrupção e recuperação de ativos.

Após assistir ao painel no qual discursaram o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o juiz federal Marcelo Bretas, Witzel falou sobre o combate à corrupção no seu futuro governo e sobre investimentos que fará em tecnologia para aprimorar a segurança pública no estado: “Vamos criar um departamento de combate à lavagem de dinheiro. E eu acredito na tecnologia para melhorar a atividade policial. Vamos trazer milhares de câmeras para colocar nas cidades e também implantar um sistema de localização nas viaturas para saber, em tempo real, que contingente temos nas ruas e otimizar o trabalho das polícias”, disse.

O governador eleito, que compôs o último painel do evento ao lado do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, falou também sobre a importância de garantir a independência das polícias: “Teremos uma Polícia Civil independente, uma Polícia Militar aparelhada e vamos avançar. Disse aos meus secretários que vejam a Polícia Federal como um modelo. Precisamos de uma polícia independente, que tenha efetividade na sua investigação. Não haverá mais indicação política de delegados e policiais no Rio de janeiro”, afirmou.

No encerramento de um dos painéis, o Presidente da ANDPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal), Edvandir Félix de Paiva, manifestou apoio às propostas de Witzel para a segurança. “Vimos com excelentes olhos a extinção da Secretaria de Segurança, pois assim as polícias terão autonomia para trabalhar”, disse.