Imagem: rzoze19/Shutterstock

É aprovado uso de NFTs para auxiliar reconstrução em Petrópolis

Antes da aprovação da regulamentação de criptomoedas no Brasil, o uso de moedas digitais para auxiliar na reconstrução de Petrópolis foi aprovada no Senado Federal.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Foi adiada para a próxima terça-feira a votação em Plenário do projeto de lei que regulamenta o mercado de criptomoedas no Brasil. Apresentada pelo senador Flávio Arns, do Podemos do Paraná, a proposta define conceitos e diretrizes para operações realizadas em plataformas eletrônicas e trata da supervisão e fiscalização pelo Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários.

Aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos, onde foi relatado pelo senador Irajá, do PSD do Tocantins, o projeto prevê medidas de combate à lavagem de dinheiro e outras práticas ilícitas, além de penalidades por fraudes. Relator também em Plenário, o senador Irajá concordou com o adiamento da análise, proposto inicialmente pela senadora Rose de Freitas, do MDB do Espírito Santo, devido ao baixo quórum para discussão da proposta. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, garantiu que a matéria estará na pauta da próxima sessão, após o feriado de Páscoa.

O senador Irajá afirmou que irá aproveitar o tempo para incluir em seu relatório mais contribuições ao projeto, como as emendas apresentadas pelo senador Carlos Portinho, do PL do Rio de Janeiro, com base na experiência recente do município fluminense de Petrópolis. “Foi aprovado o primeiro projeto de lei neste país que coloca Petrópolis na vanguarda: autorização para que o município emita a sua moeda digital, a NFT, para reconstrução de Petrópolis. E eu posso passar um pouco da minha experiência nesse processo inovador.”, afirmou o senador Carlos Portinho (PL-RJ)

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.