Foi aprovada na Alerj, nesta terça-feira (9), a lei que inclui os doceiros do Centro Histórico do Município de Paraty como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro.

O autor da proposta aprovada, o deputado estadual Waldeck Carneiro (PT/RJ), diz que os doces caseiros vendidos nas vielas do centro histórico são passados de pai para filho e os carrinhos onde são vendidos os quitutes fazem parte da paisagem da cidade.

“Nesse patrimônio gastronômico estão incluídos os tradicionais doceiros do Centro Histórico da cidade. São doces caseiros feitos com receitas de família, passadas de pais para filhos, que são vendidos em inúmeros carrinhos que fazem parte da paisagem das ruas tão pitorescas”, afirma Waldeck.

Os quitutes são comercializados em barracas padronizadas, e a atividade é responsável pelo sustento de inúmeras famílias, gerando emprego e renda e também fomentando o turismo, que é um dos grandes atrativos do município.

“O projeto complementa a recente aceitação da candidatura do município ao título de Patrimônio da Humanidade, concedido pela UNESCO”, finaliza Waldeck.