A obra de recuperação da Estrada União e Indústria vai começar em seis meses. A informação foi confirmada pelo DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes durante uma reunião ocorrida nessa quarta-feira (26.09) na sede do DNIT, em Brasília. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini, reforçou a necessidade da declaração de existência de recursos para a licitação da obra. Segundo o DNIT, a disponibilidade orçamentária está confirmada. A obra está orçada em aproximadamente R$ 40 milhões.

Os detalhes sobre o andamento do projeto foram repassados pelo assessor do DNIT, José Carlos Barroso. O projeto de reforma prevê a pavimentação, sinalização e melhorias na drenagem de todo o trecho entre o Retiro e Pedro do Rio – que é de responsabilidade do DNIT.

“O encontro foi muito positivo. Atendendo a um pedido do prefeito Bernardo Rossi, solicitei a confirmação da disponibilidade de recursos para garantir a licitação e um breve início das obras. Uma nova agenda será marcada, no próximo mês, com o diretor geral do DNIT, José da Silva Tiago, para acompanharmos o andamento”, explicou Marcelo Fiorini.

Fiorini também destacou a importância da retomada imediata da manutenção com o tapa-buracos.

“O DNIT já havia garantido que essa operação tapa-buracos seria iniciada no início do próximo mês e aproveitei para ressaltar a urgência desse serviço. A prefeitura já recuperou 12 quilômetros da estrada em operações tapa-buraco, apesar de não ser uma atribuição do município, mas é necessária essa operação maior para garantir a segurança a mais de 100 mil pessoas residentes nos distritos que dependem da estrada”, completou.

O projeto executivo para os 25 quilômetros ainda está em fase de atualização no próprio DNIT e, após a aprovação, deverá ser publicado em portaria do Departamento. Após esse trâmite será publicada a licitação para escolha da empresa que será responsável pela obra. A expectativa é de que todo o processo dure, aproximadamente, seis meses.

O projeto também foi apresentado nesse mês para o Ministério Público Federal. O prefeito Bernardo Rossi, já sinalizou que, durante a obra, a prefeitura irá executar pequenas intervenções como a construção de baias de ônibus e pequenos alargamentos na pista.

“A prefeitura continuará acompanhando todo o processo e realizará as intervenções necessárias para o sucesso da obra. Nos últimos meses, a Secretaria de obras já colocou 225 toneladas de asfalto na Estrada União e Indústria para amenizar a situação, mas, são 25 mil veículos que transitam por dia no local o que exige uma recuperação total do pavimento”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

Grupo de Trabalho vai acompanhar a reforma

A prefeitura instituiu um grupo de trabalho para acompanhar todo o trâmite da recuperação da Estrada União e Indústria. Além das secretarias de Obras, de Desenvolvimento Econômico e da CPTrans, a Coordenadoria de Planejamento e Gestão Estratégica também compõe este grupo de trabalho, ao lado dos empresários Jorge de Botton e Aloísio Rodrigues e do vereador Maurinho Branco.

A reforma da União e Indústria se arrasta há quase 10 anos. Em 2009, a justiça determinou que o DNIT fizesse um projeto de recuperação da estrada, o que não ocorreu e rendeu uma multa de R$ 14 milhões ao órgão. Em 2011, o projeto até foi idealizado, mas não saiu do papel. Em 2016, uma licitação foi feita, mas a vencedora abriu mão do contrato e a segunda colocada não teve interesse na obra. Desde o ano passado, a prefeitura cobra que o Dnit finalmente realize a reforma.