O Disque Turismo de Petrópolis completa, nesta terça-feira (16.01), 22 anos de funcionamento. De dúvidas dos visitantes à questionamentos dos próprios petropolitanos, o setor – que é ligado à Turispetro – já recebeu cerca de 400 mil ligações desde sua inauguração, em 1996. Mesmo em tempos de internet na palma das mãos, ainda há quem prefira o bom e velho telefone e não abre mão de receber às orientações e recomendações de uma pessoa do outro lado da linha e não de uma máquina. Durante as principais festas da cidade, como o Natal Imperial, por exemplo, o 0800 024 15 16 chega a receber mais de 100 ligações por dia.

O serviço, assim como os Centros de Informações Turísticas, é fundamental para o turismo de Petrópolis. O setor, aliás, é uma das prioridades do atual governo, já que é um dos pilares da economia do município. E, por isso, o Disque Turismo também já vem recebendo atenção especial. “Estamos aumentando as informações cadastradas, interagindo mais o Disque com os guias – que são nossos parceiros na divulgação da cidade -, e aprimorando o atendimento. Além disso, ainda vamos trazer a central para a Turispetro. Assim, o atendimento fica mais próximo dos diretores da secretaria, do secretário, melhorando o atendimento ao turista e ao próprio petropolitano, que usa bastante o serviço”, destaca o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

O Disque Turismo funcionou, assim que foi inaugurado, na Casa Barão de Mauá e, atualmente, está no Centro de Cultura Raul de Leoni. Com mais de quatro mil informações básicas de hotéis, pousadas, restaurantes, eventos, atrações culturais, pontos turísticos, além de telefones, dados históricos da cidade, e diversas outras, o serviço funciona de segunda-feira a sábado, de 9h às 18h e aos domingos, de 9h às 14h. As primeiras informações foram colhidas pela servidora Lilia Flores, que foi também a primeira funcionária do Disque Turismo.

“Eu percorria os bairros da cidade e ia cadastrando hotéis, restaurantes, bares. No início começamos com cerca de 2 mil informações, era uma espécie de catálogo. Tínhamos apenas o número 1516, que as pessoas conseguiam ligar dos orelhões da cidade. Então, muitas vezes, os turistas nos ligavam pra ajudar que eles chegassem até os hotéis que estavam hospedados. Iam parando nos orelhões e nos ligando. Em 1998 o serviço de 0800 começou, ai recebíamos ligações de todo o Brasil”, explica Lilia, lembrando que já recebeu ligações curiosas. “Tem de tudo. Crianças que ligavam para ajudar nos trabalhos escolares e até pessoas convidando pra sair”, brinca ela, que atuou no Disque Turismo até 2013 e hoje trabalha no Palácio de Cristal.