DIADEMA: Campanha contra hanseníase começa nesta segunda-feira

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Prefeitura de Diadema, por meio da Secretaria de Saúde, promove a Campanha Municipal de Hanseníase: Divulgação de Sinais e Sintomas sobre a Doença, a partir da próxima segunda-feira, 15/10, e que se estende até o dia 31/10. A campanha ocorrerá nas 20 Unidades Básicas de Sáude (UBSs) da cidade e tem como objetivo conscientizar a população sobre os principais sintomas da doença, bem como sua prevenção e tratamento.

A ação é realizada anualmente no município e faz parte da campanha estadual, organizada pela Divisão de Hanseníase do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. As UBSs municipais incluirão o tema em grupos de discussão já realizados nos locais. Nelas, serão entregues materiais informativos para a população e os agentes comunitários realizarão busca ativa de pacientes nos bairros do município. Além disso, os profissionais de saúde receberão orientações de como realizar o diagnóstico de forma mais eficaz.

Voltada para a população em geral, a ação tem um teor educativo, que visa estimular a procura voluntária do caso suspeito para atendimento e diagnóstico. “Como Diadema tem uma alta densidade populacional, a chance de contágio é relativamente maior. Por este motivo, pessoas com suspeita da doença devem ser avaliadas o mais rápido possível, assim como todos do seu círculo domiciliar e social”, ressalta a médica sanitarista da Epidemiologia e Controle de Doenças (ECD) de Diadema, Iriane Henriques.

Em caso de suspeita, as UBSs tem estrutura adequada para fazer a primeira avaliação. Se a suspeita da doença for confirmada, o paciente é encaminhado para o Ambulatório de Hanseníase, onde serão realizados exames químicos e laboratoriais, além do acompanhamento com oftalmologista e fisioterapeuta.

“Atualmente estão em tratamento sete casos de hanseníase no município, sendo três destes diagnosticados em 2018. O tempo de tratamento pode variar de 6 a 18 meses, sendo que a medicação é disponibilizada de forma gratuita e, como forma de incentivo ao tratamento, cestas básicas são entregues mensalmente aos pacientes com a doença”, continua a médica.

Hanseníase

Conhecida popularmente como lepra, a hanseníase é uma doença milenar, causada pela bactéria Mycobacterium Leprae e transmitida principalmente por via respiratória. A doença, que tem cura, acomete pele e nervos, sendo que entre os principais sintomas estão lesões na pele como manchas, placas e nódulos, em qualquer área do corpo, além do comprometimento da sensibilidade. É importante o diagnóstico precoce para evitar incapacidades e deformidades físicas.

Ainda de acordo com Iriane Henriques, é válido ressaltar que todas as pessoas que convivem com um doente de hanseníase sem tratamento, tem o risco de contrair a doença. No entanto, a transmissão é interrompida a partir do momento que o tratamento é iniciado.

Fonte: Prefeitura de Diadema

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.