Dia Paralímpico: 200 alunos participaram de atividades esportivas adaptadas

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Coordenação motora, equilíbrio, fortalecimento muscular e interação social são apenas alguns dos benefícios do esporte. E foi justamente para fomentar atividades físicas e mostrar que não há limitações para quem busca e precisa participar de alguma atividade, que a Secretaria de Educação, em parceria com o 32º Batalhão de Infantaria Leve, realizou nesta sexta-feira (25.10) o Dia Paralímpico: cerca de 200 alunos da rede municipal, incluídos na modalidade de educação especial, participaram da programação, que também contou com música, dança e muita diversão.

“Adorei. O lugar aqui é muito bonito e deu vontade mesmo de correr pelo campo. Tomara que a gente volte mais vezes”, disse Yasmin Ferreira, 14 anos, aluna da EM Dr. Theodoro Machado.

A professora Renilda Quintela, que atua na sala de recursos multifuncionais – local onde os alunos recebem um atendimento diferenciado – confirmou que todos os alunos ficaram animados. “Eles estavam ansiosos, queriam conhecer o batalhão, ver a banda e participar das atividades. É muito gratificante poder participar desses momentos com eles”, contou.

Na ocasião, os alunos tiveram a oportunidade de conferir o talento da banda do 32º Batalhão e, em seguida, partiram para as atividades: a programação contou com três circuitos diferentes: pular cone, andar na barra, pular, corda, passar no túnel e corrida sentada. No segundo: corrida da colher, corrida bambolê no cone, corrida pega a bola e joga no cesto, revezamento 20 metros e passar a bola. Já o terceiro contou com capoeira, dança e judô.

“Agradeço ao 32º pela disponibilidade, cooperação e auxilio nessa ação que mostrou o quanto os nossos alunos são talentosos. Tenho certeza que foi um dia inesquecível para cada um deles”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

O diretor da EM Monsenhor João de Deus Rodrigues acompanhou, no evento, alguns dos alunos que participam das atividades do projeto ISE – Inclusão Social Esportiva – que promove aulas de natação na sede da escola, em Pedro do Rio. “Mais uma ação que reforça essa nossa intenção de incentivar a autonomia, mostrar que esses alunos podem participar de atividades físicas e que estamos sempre dispostos a ajudá-los”, contou Ney Marcos de Paula Júnior.

As atividades foram realizadas com alunos a partir de 8 anos de idade. “Essa foi a primeira edição do evento no 32º Batalhão e só foi possível por causa do comando, que abraçou a causa e disponibilizou efetivo para auxiliar nas atividades. Agradeço muito essa cooperação e planejaremos, com certeza, outros dias como esse. Fiquei emocionada e só tenho a agradecer pelo apoio dos pais, professores e dos estudantes que encheram o meu dia de alegria”, afirmou a secretária de Educação, Marcia Palma.

De acordo com o Departamento de Educação Especial da Secretaria de Educação, as atividades físicas estimulam, também, o cognitivo, mas, sobretudo, a autonomia desses jovens. “São atividades que contribuem efetivamente para o desenvolvimento integral do aluno. Como ser social, autônomo, democrático e participante, estimulando o seu pleno exercício da cidadania através do esporte”, completa a responsável pelo departamento, Bianca Caetano.

Alex Lautherbach, representante do Comitê Paralímpico Brasileiro – segmento de educação paraolímpica – lembrou que o evento complementa a capacitação realizada neste ano com os professores que atuam diretamente com os alunos inseridos na modalidade da inclusão – aproximadamente 50 participaram das aulas teóricas e práticas sobre bocha, atletismo e gol bol, ação que também foi resultado de uma parceria com a Secretaria de Educação.

“Nada melhor do que colocar em prática, com os alunos, todas as dicas recebidas sobre comportamento, interação e auxilio aos estudantes e, esse também foi um momento de aprendizado para os professores. Uma ação importante e que com certeza foi inesquecível para todos”, disse.

Vilma Oliveira, mãe do Caio Oliveira Fernandes, de 14 anos, aluno da EM Dr. Theodoro Machado, diagnosticado com síndrome de down, parabenizou a iniciativa: “Maravilhoso. Foi uma manhã mais do que inesquecível. Ele está muito feliz, o que me deixa realizada. Não tenho palavras para descrever a alegria de vê-lo fazendo atividades no batalhão”.

 

 

 

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.