Momento da prisão de Fabrício Queiroz, em Atibaia, interior de São Paulo - Reprodução

Desembargadora nega pedido de prisão domiciliar para Queiroz

Defesa do ex-assessor de Flávio Bolsonaro fez o pedido com o argumento de que ele está se recuperando de um câncer
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Fabrício de Queiroz teve o pedido de prisão domiciliar negado, nesta sexta-feira (19/06), pela desembargadora Suimei Cavaleiri, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ). A defesa do ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) havia pedido a substituição da prisão preventiva de Queiroz com o argumento de que ele estaria se recuperando de um câncer.

A íntegra da decisão que negou o pedido da defesa de Queiroz não está disponível porque o caso corre em segredo de justiça. O habeas corpus será julgado pelo colegiado da 3ª Câmara Criminal, após o cumprimento de mais fases da investigação e a manifestação das outras partes envolvidas no processo.

Queiroz é apontado pelo Ministério Público do Rio como operador financeiro de Flávio Bolsonaro. Ele foi preso, nesta quinta-feira, na casa de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro, em Atibaia, interior de São Paulo.

Segundo a Secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap), Fabrício Queiroz ocupa uma cela com seis metros quadrados com uma cama, chuveiro, vaso sanitário e pia no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Ele passará 14 dias no local, isolado, cumprindo o protocolo para a entrada de presos durante a pandemia de coronavírus.

Fonte: O Dia

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.