Foto: Reprodução

Denúncia | Funcionários do Hospital Nossa Senhora Aparecida reclamam de atrasos constantes nos pagamentos de salários

Em nota, a Prefeitura de Petrópolis afirmou que não há pagamentos em atraso para o Hospital Nossa Senhora Aparecida.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Trabalhadores que atuam no Hospital Nossa Senhora Aparecida, em Petrópolis, vêm reclamando constantemente de atrasos salariais e quando os pagamentos são feitos, menos da metade do valor total dos salários são depositados.

De acordo com as denúncias, os funcionários estão com aluguel, pensão, todas as contas atrasadas e se endividando ainda mais. Muitos tem que recorrer à ajuda de terceiros para comprar alimentos para dentro de casa e sustentar os filhos.

Os denunciantes também alegam o não recebimento de passagem, o que faz com que muitos tenham que custear o deslocamento do próprio bolso da sua residência até o hospital.  Quando os gestores do hospital são indagados pelos trabalhadores, a justificativa é de que a Prefeitura de Petrópolis não repassa as verbas necessárias para que o hospital faça o pagamento dos funcionários.

Em nota, a Prefeitura de Petrópolis afirmou que não há pagamentos em atraso para o Hospital Nossa Senhora Aparecida, confira:

“A Secretaria de Saúde informa que não há pagamentos em atraso para o Hospital Nossa Senhora Aparecida HNSA e Casa de Saúde Santa Mônica. Entre os anos de 2021 e 2022 mais de R$ 57 milhões foram repassadas as instituições. Destes R$ 57 milhões, um total de R$ 17 milhões foi pago entre os dias 18 de dezembro de 2021 e 30 de setembro de 2022, data de realização do último repasse.”

“Neste momento, existem processos relacionados às Unidades em tramitação na Secretaria, protocolados recentemente, em fase de análise e avaliação quanto aos documentos apresentados por estas Instituições. Quanto às questões trabalhistas, elas são de responsabilidade das unidades, pois se tratam de relação entre contratante e contratado.”

Nossa equipe também entrou em contato com a unidade de saúde para cobrar soluções, mas até o momento não obteve resposta.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.