Cristiane Brasil, filha de Roberto Jefferson, seguiu para o IML após se entregar à polícia, na sexta-feira. Ela é apontada como a 'fada madrinha' de esquema investigado pelo MP - Cesar Salles / O Dia

Defesa pede prisão domiciliar para a ex-deputada Cristiane Brasil

Apelidada por juíza de 'fada madrinha' em esquema de corrupção, ela está presa em cadeia de Niterói
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A defesa da pré-candidata à Prefeitura do Rio e ex-deputada federal Cristiane Brasil encaminhou pedido de prisão domiciliar à Justiça. Apelidada pela juíza Ana Helena Mota Lima Valle, da 26ª Vara Criminal do Rio, como “fada madrinha” em esquema de corrupção, a política está presa preventivamente em cadeia feminina de Niterói. Segundo denúncias do Ministério Público do Rio, Cristiane faz parte da estrutura de corrupção que desviou cerca de R$ 30 milhões de cofres públicos.

Luiz Gustavo da Cunha, advogado da ex-deputada, disse que a petição foi enviada à Justiça na sexta-feira, contudo a juíza responsável pela análise garantiu que só avaliaria o pedido amanhã, em reunião com a promotoria, às 13h.

“É um exagero a prisão preventiva, então por isso entramos com uma petição diretamente com a juíza. No caso de indeferimento, vamos entrar com o habeas corpus na 5ª turma Criminal do Tribunal de Justiça”, explicou.

Segundo denúncia do MP, Cristiane Brasil integraria o núcleo político composto ainda pelo secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes; Sergio Fernandes, ex-presidente da Fundação Leão XIII; e João Mattos, ex-administrador financeiro da instituição, todos presos no Complexo de Gericinó, em Bangu, com exceção do secretário, que está com covid-19 e permanece em casa.

Fonte: O Dia

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.