As fortes chuvas da última sexta-feira (19.10) mostraram que Petrópolis está no rumo certo em prevenção. “As fortes chuvas já deram o tom de um verão com alto índice pluviométrico, assim seguimos com as secretarias em prontidão e trabalhando sincronizadas”, afirma o prefeito Bernardo Rossi enumerando ferramentas usadas no período: sirenes, pontos de apoio, alertas, voluntários e recursos humanos do poder público. Na sexta-feira foram registradas 22 ocorrências, sem gravidade, e a limpeza e desobstrução das vias foi feita em poucas horas com apoio da SSOP, Comdep, CPTrans e Obras.

O Plano Verão municipal está sendo atualizado em conjunto com os órgãos de resposta, aperfeiçoando o atendimento às ocorrências. A pasta segue fazendo os testes mensais das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, para que todos os 20 equipamentos da cidade permaneçam funcionando durante a estação mais crítica do ano.

Um calendário de operações nas praças e nas comunidades começa a funcionar em novembro com o objetivo de orientar os moradores com cartilhas que ensinam dicas de como agir em casos de deslizamento de terra e inundações. Os agentes também visitam os pontos de apoio que a atual gestão organizou nas comunidades de maior risco geológico. Principal novidade para esse ano dentro dasações operacionais, a prefeitura vai implementar um sistema que irá gerenciar o envio de alertas pelo celular, que também monitora as áreas mais propensas aos desastres de origem natural do município.

Desde o início da gestão do prefeito Bernardo Rossi, as ações e o investimento tem como foco a redução do risco de desastres. No último verão, o governo municipal colocou em funcionamento as sirenes que ficam na região do Vale do Cuiabá – Gentio e Buraco do Sapo. Também reorganizou os pontos de apoio do município: agora são 21 locais, atendendo a todas as regiões que contam com o conjunto de sirenes. Também no ano passado, foi realizado o Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil (Ecadec) que contou com um simulado de evacuação da comunidade na Rua João Xavier, no Bingen. O trabalho antecipado busca reduzir o número de ocorrências, organizando as equipes de atendimento e orientando os moradores.

“Desde o ano passado, o governo elabora as matrizes de responsabilidades para que todos os órgãos trabalhem em conjunto e em pronto atendimento as ocorrências. É importante que a cidade esteja preparada para o período de fortes chuvas, que vai de novembro até abril. Também estamos empenhados em reunir cada vez mais informações sobre os riscos da cidade, reforçando as ações no eixo operacional. Após o lançamento da versão atualizada do Plano Verão municipal, as equipes estarão ainda mais prontas para trabalhar em conjunto, o que é fundamental para agilizarmos a resposta à população”, pontua o prefeito Bernardo Rossi.

A atualização do Plano Verão municipal acontece em virtude dos números do último verão: os índices de chuva cresceram 120% e a quantidade de ocorrências registradas subiu 48%. O trabalho está sendo elaborado em cima das principais ameaças desta estação: deslizamento de solo ou rocha, inundações, rolamento de blocos rochosos, vendavais e tempestades de raios. Ferramenta fundamental na prevenção aos desastres de origem natural, as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme ganharam atenção especial: desde o ano passado, a prefeitura faz os testes mensais também à noite, reforçando a integração entre os agentes da Defesa Civil e os moradores.

Também como forma de intensificar o trabalho antes do período de fortes chuvas, a Defesa Civil está preparando um calendário de operações nas comunidades que contam com as sirenes, com o objetivo de orientar a população e visitar os pontos de apoio existentes no município. Os agentes iniciam o trabalho de orientação em novembro. Segundo o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, esse trabalho tem como foco as áreas de maior risco geológico da cidade.

“Vamos visitar todos os locais que contam que as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme. Precisamos estar bem próximos dos moradores para que a gente tenha a redução do número de ocorrências. Essa será a segunda edição do nosso Plano Verão de Petrópolis e estaremos ainda mais preparados e integrados para enfrentarmos, conjuntamente, as ameaças da estação”, garante o secretário de Defesa Civil.

A prefeitura publicou na segunda-feira (22.10) o edital de licitação com as condições e regras para a plataforma Alerta Petrópolis, que irá oferecer um aplicativo que envia, pelo celular, alertas para moradores das áreas de risco do município. A concorrência está marcada para o dia 1° de novembro e os interessados em participar poderão consultar o documento no site da prefeitura, na área de “Licitações”.  Poderá administrar o software a empresa que oferecer o menor preço pelo serviço, respeitando as condições estabelecidas.

Entre as especificações técnicas do Alerta Petrópolis estão o cadastro completo dos pontos de apoio e das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme do município e o envio de orientações para a evacuação das comunidades. Também prevê encaminhamento automático de informações e notificações sobre a possibilidade de eventos climáticos. As informações devem ser disponibilizadas em aplicativos nas versões Android e iOS.

Defesa Civil nas Escolas e SOS Chuvas com foco na prevenção

A inserção dos temas Defesa Civil e Educação Ambiental nas escolas da rede municipal de ensino é outra ação importante do governo municipal na prevenção aos desastres de origem natural. Ao longo deste semestre, os alunos estão desenvolvendo trabalhos de acordo com as ameaças de desastres características do verão, como deslizamentos de terra e inundações. A inclusão dos assuntos em sala de aula é inédita no país e oferece a oportunidade de os estudantes desenvolverem a percepção dos riscos do seu bairro.

“O Defesa Civil nas Escolas é a principal ferramenta do governo para garantir uma cidade mais resiliente no futuro. Ao lado do SOS Chuvas, são as nossas principais ações de prevenção na cidade”, avalia Paulo Renato, destacando a atuação em conjunto da prefeitura nos programas de prevenção aos desastres de origem natural.

Criado no ano passado pela prefeitura para impedir o avanço das ocupações e construções irregulares na cidade, o SOS Chuvas segue com vagas abertas para inscrições para novos estagiários. O programa funciona em parceria com a Universidade Católica de Petrópolis (UCP) e a Estácio de Sá, buscando reduzir os prejuízos causados pelas chuvas de verão em três áreas: Defesa Civil, Meio Ambiente e Obras. Os estudantes devem procurar pela coordenação dos cursos de arquitetura e de engenharia para participar.