A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias registrou 39 ocorrências desde à tarde de sábado (03.03): foram 22 deslizamentos de terra, cinco alagamentos, três problemas em via, três avaliações de risco estrutural, três vistorias preventivas, duas de risco geológico e um tombamento de poste. Todos os 55 agentes da Defesa Civil permanecem de plantão para novos atendimentos. As regiões com maior índice acumulado de chuva desde ontem são o Morin e Cascatinha, com 82 milímetros, seguido do Gentio, onde foram registrados 77mm, e o Vila Felipe, com 64mm. Em Corrêas, foram registrados 48mm.

Foto: Giro Serra

Em Petrópolis, o mês de fevereiro apresentou índice de chuva 138% maior do que no mesmo período do ano passado. A previsão é de que as chuvas fortes continuem na cidade até meados de abril. Neste momento a Defesa Civil permanece em estágio de atenção e não há registro chuvas na cidade.

 “Com a previsão de novas pancadas de chuvas é fundamental que a população que vive em área de risco tenha a atenção redobrada e, em caso de qualquer sinal de instabilidade do imóvel ou do terreno, o morador deve ligar para o 199 e pedir uma vistoria preventiva à Defesa Civil. Todo o nosso efetivo foi disponibilizado para atender às famílias”, explica o secretário de Defesa Civil, coronel Paulo Renato Vaz, lembrando que a ligação e o serviço são gratuitos.

As equipes da Secretaria de Assistência Social estão, também, nas áreas atingidas para atendimento e acolhimento das famílias. Um grupo formado por quatro técnicos da Secretaria foi até o Caxambu neste domingo para cadastrar os moradores que tiveram as casas atingidas pelas chuvas. Outras três equipes foram direcionadas para Morin, Bela Vista, Cascatinha e Corrêas.