A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias distribuiu mais de cinco mil cartilhas de prevenção aos desastres naturais nos terminais rodoviários urbanos da cidade nesta semana. Os agentes também fixaram mais de 100 cartazes do programa SOS Chuvas nos ônibus e no comércio em torno dos terminais no Itamarati, Corrêas e Itaipava. A ação antecipada faz parte do Plano Verão 2018 de Petrópolis e está inserida no SOS Chuvas, programa da prefeitura que conta com 50 estudantes de quatro universidades inscritos e atuando em três áreas: Defesa Civil, Obras e Meio Ambiente.

O encerramento das atividades nos terminais aconteceu em Itaipava, nesta quinta-feira (01.03). Dessa maneira, a prefeitura segue atuando de forma preventiva para garantir o atendimento mais qualificado às ocorrências das chuvas de verão, além de promover a cultura preventiva nos bairros da cidade. Segundo o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, a entrega do material educativo nos terminais rodoviários garante que mais pessoas tenham acesso a uma informação que pode salvar vidas.

“A grande concentração de pessoas nos terminais de ônibus garante que o trabalho de prevenção chegue em todos os locais da cidade. A cartilha contém informações simples, como a preparação de um kit de emergência, com alimentos, remédios e material de higiene que devem ficar em um local de fácil acesso. Esse tipo de informação ajuda a preservarmos a vida das famílias que vivem nas áreas de risco da cidade”, afirma Paulo Renato.

O trabalho de conscientização nos terminais urbanos contou com o apoio dos estagiários inscritos no SOS Chuvas. O programa lançado pela prefeitura em novembro do ano passado tem o objetivo reduzir os prejuízos causados pelas chuvas de verão. O projeto funciona em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade Estácio de Sá (Unesa) e a Universidade Católica de Petrópolis (UCP), que disponibilizaram universitários voluntários.

“A parte prática é importante para os estagiários, que aprendem na prática como funciona o trabalho de orientação dos moradores. A vivência na rua é fundamental para a formação dos universitários. Neste momento, trabalhamos para garantir que a informação sobre a prevenção chegue em todos os locais da cidade”, explica Paulo Renato.

Moradora da localidade Madame Machado, Flávia de Oliveira Conceição, de 42 anos, admite que fica preocupada com as fortes chuvas de verão. Ela elogiou o trabalho da Defesa Civil e disse que vai levar a cartilha de prevenção aos desastres naturais para os seus vizinhos. “Não adianta eu fazer a minha parte e o restante do bairro não. Vou aproveitar e levar também para meus vizinhos. Acho que dessa forma todos ficam mais seguros”, afirma.

Em janeiro, a Defesa Civil realizou a entrega do material educativo nas 12 comunidades da cidade que contam com 20 conjuntos de sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, distribuindo mais de três mil exemplares nestes locais. Além disso, os cartazes também foram colados nos ônibus que fazem ponto final no terminal rodoviário do Centro. “Com a realização desse trabalho, estamos promovendo o desenvolvimento a cultura de prevenção aos desastres naturais em Petrópolis”, completa o secretário de Defesa Civil.