De Nova Iguaçu ao sucesso na TV Globo: Conheça Paula Santos, bailarina que está brilhando no ‘Dança dos Famosos’, no Domingão do Faustão

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Nascida em Nova Iguaçu, a carioca Paula Lidiane dos Santos Gomes dança desde pequena. Com apenas 4 anos, participou de sua primeira competição de dança e aos 11 já competia na categoria “adulto”. Aos 14 anos, tornou-se professora e coreógrafa de jazz nas principais escolas de dança de sua região. Atualmente, aos 25 anos, Paula integra o ballet mais famoso do país no Domingão do Faustão e é uma das coreógrafas do quadro “Dança dos Famosos” em 2020, dançando com o ator André Gonçalves. No próximo domingo eles irão dançar Foxtrote com sapateado.

“Sempre gostei de me desafiar e isso me trouxe uma responsabilidade e amadurecimento muito rápido e notório. As competições serviram como injeção de ânimo e superação. Eu amo a energia que a competição traz para a arte!”, diz ela.

De Nova Iguaçu a São Paulo

Formada em Magistério e Design de Interiores, a verdadeira paixão de Paula sempre foi a dança, “sempre me enxerguei trabalhando com arte. Quando pequena, já me imaginava trilhando os caminhos na televisão e tocando minha própria escola de dança” conta. Mas nem tudo fluiu de forma tão simples. Antes de a arte virar de fato sua profissão, a bailarina se viu forçada a tomar outros caminhos para ganhar dinheiro. Formou-se em magistério e logo depois em Design de Interiores, onde percebeu que só seria feliz mesmo com seu sonho antigo.

“Passei por um momento na minha vida de incertezas e medos com a arte, era muito complicado viver de dança e isso me desanimou bastante. Por ser muito nova e com pouca experiência, eu quase nunca era chamada pra trabalhar. Foi quando fiz o curso de Designer de Interiores. Precisei viver esse tempo fora da área artística para ter a certeza que o meu lugar era na dança”, relembra a artista, que não exerceu a profissão de designer, mas exerceu o magistério na Educação Infantil por dois anos.

Muito apegada a sua fé, Paula conta que a verdadeira volta por cima aconteceu em 2016, quando fez uma espécie de desafio com Deus, “se a minha carreira não virasse naquele ano, eu desistiria da dança. Pouco tempo depois, eu recebia ligações toda semana para trabalhar”, relembra, dizendo que este foi o primeiro ano em que viveu totalmente da dança e também quando passou na audição para o ballet das Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016. “De lá pra cá, nunca mais parei de trabalhar”.

Empreendedorismo e inspiração

Em toda a sua dedicação a arte, Paula passou pela companhia de danças urbanas de onde saíram coreógrafos de Anitta, Lexa e Ludmilla, mas com apenas 17 anos, a coreógrafa montava a sua própria escola de dança, o CAPS (Centro Artístico Paula Santos), acompanhada de seu irmão Paulo Santos, pós-graduado em Educação Física, faixa preta em Judô, o que inclusive já o levou a competir pela Seleção. “Foi a realização de um sonho de criança. Meu irmão e eu sempre fomos muito talentosos em nossas áreas, a luta e a dança, então resolvemos criar um espaço juntos”, lembra, contando que o lugar já teve mais de 300 alunos matriculados.

Além disso, Paula carrega um vasto currículo de apresentações, como o clipe de “Ginga”, da cantora Iza, “Vai Malandra”, da Anitta, Chacrinha (O Musical), o seriado “Mister Brau” e muitas outras.

Com o surgimento dos ballets de MCs e cantores, o cenário da dança começou a crescer e grandes nomes da música começaram a fomentar o mercado com seu coreógrafos. Com isso, Paula se sentiu cada vez mais motivada e hoje, faz parte da lista de mulheres que fortaleceram a arte e vivem plenamente da dança, o que era praticamente impossível a menos de 10 anos atrás, quando o preconceito era ainda mais evidente para quem se arriscava na arte, principalmente para mulheres, que viam a profissão sexualizada e sem oportunidades.

Ela dá dicas para quem está começando: “Viver de qualquer arte no início é sempre complicado. Seja persistente e sempre busque se aperfeiçoar. Aconselho a não desistirem dos seus sonhos, em hipótese alguma. Eu saí de um lugar totalmente improvável. Sou o exemplo disso” e afirma que o talento não é tudo, “precisa ser estratégico e sempre humilde para aprender”.

Saúde e boa forma

Estar sempre pronta para uma apresentação requer um cuidado super especial com o corpo. Paula não deixa por menos e possui uma rotina intensa de exercícios. “Meu corpo é minha empresa e às vezes as pessoas que vivem da dança esquecem disso” conta, afirmando sua disciplina. “Depois que comecei a trabalhar na televisão, redobrei os cuidados. Treino duas vezes por dia, cinco dias por semana”.

Além dos treinos, a musa faz acompanhamento com nutricionista. Sessões de manutenção com uma esteticista ajudam com retenção de líquido e gordurinhas localizadas, completando o tratamento para o corpo escultural de Paula.

Futuro

Como quem ama o que faz, os planos de Paula envolvem continuar trabalhando com arte, inclusive atuação, “talvez atuar em algum filme ou novela. Sonhar grande e pequeno dá o mesmo trabalho e eu amo trabalhar com televisão”.

A dançarina conta também que apesar de desejar coreografar grandes trabalhos por aqui, tem planos de buscar espaço internacionalmente e viver fora do país. Por fim, revela: “o próximo objetivo mesmo é ser campeã do Dança dos Famosos”. Até hoje, em 16 temporadas do programa, apenas 3 negros conquistaram o primeiro lugar no pódio, sendo eles o ator Robson Caetano em 2006, Marcelo Melo Jr. em 2014 e a Bailarina Carol Agnelo em 2016. De acordo com Paula, seu objetivo é conquistar a vitória e aumentar a lista, trazendo representatividade.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.