Celia Santos

Daruê Malungo promove Coco do Candinhêro, no dia 26/01, com Bongar e Maciel Salú

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Evento tem como proposta mobilizar recursos para manter atividades e atendimentos do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo, em Chão de Estrelas. Além do coco, público pode participar da vivência de dança Malungos – corpo,dança, mente e movimento, com o professor e bailarino Orun Santana

O Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo, na comunidade de Chão de Estrelas, Zona Norte do Recife, que completou 30 anos, passa por dificuldades. Para manter o atendimento de 55 crianças e adolescentes em suas atividades educativas, com dança, capoeira, lazer e nutrição, o grupo promoverá o Coco do Candinhêro, no próximo dia 26/01 (sábado). As atividades começam às 9h, com a vivência de dança Malungos – corpo,dança, mente e movimento, com o bailarino e professor Orun Santana. Às 15h, o coco toma conta do terreiro com a apresentação do Bongar, que contará com a participação especial do rabequeiro Maciel Salú. Para participar e contribuir, o público pode efetuar uma doação espontânea a partir de R$ 20,00 (vinte Reais). O Daruê Malungo fica na Rua Passarela, 18A, Chão de Estrelas (Peixinhos), Recife, e também aceita doações através de conta corrente: Banco do Brasil, Agência: 2805-3, Conta: 12160-6, em nome do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo, CNPJ 35.328.012/0001-24.

O Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo, é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, criado em 5 de outubro de 1988. O Daruê nasceu a partir de um trabalho iniciado pelo Mestre de Capoeira Meia Noite, com um pequeno grupo de crianças, que viviam desassistidas do direito humano básico da educação e sem perspectivas futuras de um crescimento saudável. Neste contexto, surgiu a proposta de desenvolver um processo educativo com as crianças e adolescentes a partir de elementos das manifestações culturais locais, e assim, aprimorar o conhecimento através da formação de nossas raízes culturais.

Hoje o Daruê Malungo é uma instituição reconhecida legalmente pelo Conselho de Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA), Governo Estadual e Governo Federal. A instituição dispõe de uma estrutura física coberta de aproximadamente 280m², constituída de um salão, quatro salas, biblioteca, sala de vídeo, sala de culinária, cozinha, quatro banheiros e uma área externa de lazer, que envolve todo o prédio. A estrutura humana da Daruê conta com uma equipe de educadores(as) e uma pedagoga. Estes profissionais desenvolvem uma proposta sócio-pedagógica que abrange crianças, adolescentes e suas famílias.

Além de Meia Noite, outro pilar do Daruê é aquela que participa da instituição desde a sua fundação. Hoje, ela é o maior alicerce do Centro. Vilma Carijós, mulher, guerreira, bailarina, educadora popular e atual presidente. Ela convoca a todos e todas para abraçarem esta causa. Neste exato momento, o Daruê está com a energia elétrica cortada, precisando organizar documentações, nas vésperas do carnaval, onde tradicionalmente participa das comemorações.

A campanha não é apenas de arrecadação de recursos. É para sensibilizar pessoas amigas e parceiras. A proposta é realizar trocas, oferecer serviços, construir novos meios para buscar a manutenção e estabilidade do Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo. A instituição está aberta para trocas e ajudas, onde a cooperação e a colaboração sejam princípios e meios fundamentais para as relações que podem ser estabelecidas.

Neste instante, pela emergência, a instituição está juntando toda e qualquer forma de contribuição para enfrentar a crise. Otimismo, coragem e capacidade de luta são marcas de quem nós somos, Daruê (luta) Malungo (companheiro/companheira). O Centro de Educação e Cultura convoca todos e todas para agregar, somar, potencializar, e se fazerem presentes e participativos durante este ano.

Vivência – O professor e bailarino Orun Santana, integrante do Daruê Malungo, convida o público para conhecer e se conectar com as danças afro, sua liberdade de expressão corporal e sua potência como linguagem que usa a música, símbolos e signos da África, do Brasil e de culturas afro ao redor do mundo. Esta iniciativa tem como princípio compartilhar com os participantes a conexão que estas danças possuem com o Recife, com a ancestralidade de matriz africana, além de trazer à tona a pedagogia do Centro Cultural Daruê Malungo, da Mestra Vilma Carijós, do Mestre Meia Noite e da própria pesquisa de Orun como artista da dança, vindo de uma companhia com 30 anos de existência. Além disso, parte da renda da vivência Malungos – corpo,dança, mente e movimento será revertida para manter o funcionamento do Daruê Malungo. A vivência acontecerá no dia 26/01 (sábado), às 9h, na própria sede do Daruê Malungo.

Serviço:
Coco do Candinhêro
Quando: dia 26/01 (sábado), a partir das 9h
Onde: Centro Cultural Daruê Malungo
Endereço: Rua Passarela, 18A, Chão de Estrelas (Peixinhos), Recife
Coco: Bongar com participação especial de Maciel Salú
Vivência: Malungos – corpo,dança, mente e movimento, com o bailarino e professor Orun Santana
Contribuição: a partir de R$ 20,00 (vinte Reais)
Informações: 81 99799-9545 (Orun Santana)

Doações diretas:
Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo
CNPJ 35.328.012/0001-24
Banco do Brasil
Agência: 2805-3
Conta: 12160-6

Crédito da foto: Celia Santos

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.