Antes Tarde do que Nunca! Pela primeira vez, importantes instituições artistas de São Paulo dedicam ao mesmo tempo sua totalidade a criadores africanos e diáspora. São eles, o Centro de Cultura do Banco do Brasil, o Museu da Arte de São Paulo e o famoso Instituto Moreira Salles.

Ex-Africa, que é a principal exposição já recebeu a visita de mais de 200 mil pessoas na CCBB do Rio, agora com exibição inédita na sede paulista,  a partir do dia 28, pelo menos 16 nomas na arte contemporânea do continente africano com foco no cenário internacional serão exibidas. Omar Victor Diop é um deles.

O senegalês de 38 anos conquistou as galerias do mundo todo com suas fotografias. O seu projeto mais famoso, é o critico e polemico “Re-Mixing-Hollywood”, no qual ela recria posteres de grandes sucessos cinematográficos, apenas com modelos negros, em um grito ou critica pela falta de representatividade na industria cultural. Estará em cartaz também sua coleção de autorretratos, batizado de Diáspora, que reproduz a imagem de africanos notáveis.

Re-Mixing-Hollywood – 01

Um outro destaque – o meu favorito – vão ser as imagens de penteados tradicionais clicados pelo nigeriano, J.D ‘Okhai Ojeikere, que também foram reproduzidos recentemente pela atriz, Lupita Nyong, nos red carpet do filme Pantera Negra.

O MASP vai se dedicar a retratar a historia Afro-Atlânticas este ano, exibindo esculturas do mestre Aleijadinho e o tocante trabalho da pintora Maria Auxiliadora, que nos deixou muito jovem, aos 39 anos, em 1974 nos deixando talvez uma das obras mais importantes de sua época, que reflete a riqueza de detalhes da arte. A partir do dia 05 as 70 criações do curador e artista Emanoel Araujo iram estar em exibição, sendo Ele um dos nomes mais importantes da arte contemporânea.

As obras das Artistas, Raquel Nava, Anna Bella Geiger e Adriana Varajão serão exibidas entre os dias 11 e 15 no Pavilhão da Bienal.

Obs: Para informações mais precisas sobre datas, entradas e outros entre em contato com as instituições acima citadas.