Foto: Juan Mabromata/ AFP

Cristina Kirchner é condenada a seis anos de prisão por corrupção

Vice-presidente da Argentina tem imunidade constitucional devido ao cargo que ocupa
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Cristina Kirchner, vice-presidente da Argentina, foi condenada pela Justiça do país a 6 anos de prisão, nesta terça-feira (6), pela acusação de ter sido a chefe de uma organização criminosa para desviar dinheiro do Estado.

Segundo o G1, apesar da condenação, Cristina não vai ser presa porque ela tem foro privilegiado. Na Argentina, o vice-presidente também ocupa o cargo de presidente do Senado. Cristina exerce as duas funções até o fim da gestão do atual presidente, Alberto Fernández, e ela pode se candidatar a um terceiro mandato (ela pode ser candidata, mesmo com uma condenação judicial de primeira instância).

Além da vice-presidente, também foram condenados Lázaro Báez (6 anos), José López (6 anos), Nelson Pierotti (6 anos), Mauricio Collareda (4 anos), Juan Carlos Villafañe (5 anos), Raúl Daruich (3 anos e 6 meses), Raúl Pavesi (4 anos e 6 meses), José Raúl Santibáñez (4 anos). Foram absolvidos Julio de Vido, Abel Fatala, Héctor Garro e Carlos Santiago Kirchner.

Ela nega as afirmações e garante que é inocente.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.