A problemática eleição presidencial do Vasco da Gama chegou ao campo, depois de diversas trocas de acusações, acordos e liminares na justiça, que se arrastam desde o ano passado, ainda na campanha presidencial onde concorreram: Eurico Miranda (reeleição), Julio Brandt, Flávio Campello e Fernando Horta, após o término do pleito, com a contagem de todas as urnas, Eurico reelegia-se para comandar o gigante da colina, entretanto irregularidades anularam a urna 7 com a não contagem de votos desta urna, Júlio Brandt naturalmente tornaria-se presidente.

Ocorreram a partir daí mais liminares e até investigações na polícia civil, que recebeu queixas de fraude no sistema de cadastro dos sócios e posteriormente de um suposto saque de materiais de dentro da sede do clube, no bairro Vasco da Gama, desmembramento do bairro de São Cristóvão, zona norte do Rio de Janeiro, só que uma decisão judicial desta semana, surpreendeu a todos.

Um despacho judicial, obrigou que uma regência trina, ao melhor estilo dos regentes imperiais, comandasse o Vasco da Gama a partir de ontem (17/01) até a posse do novo presidente, na segunda-feira (22/01), os três candidatos restantes no dia da votação: Eurico Miranda, Julio Brandt e Fernando Horta, tornaram-se os comandantes cruz-maltinos, só que por problemas de representação frente aos órgãos que fazem campeonatos, o clube para não ter que adiar jogos do campeonato estadual, foi obrigado a jogar de portões fechados.

Faltam pessoas para poder trabalhar nas bilheterias do clube e em outros setores fundamentais para a realização da partida, com a presença de torcedores, como a PM e o Corpo de Bombeiros autorizaram o jogo, em reunião entre os regentes e a FERJ, optou-se que o Vasco jogue sem torcedores em sua estreia na noite de hoje contra o Bangu e no próximo domingo contra o Nova Iguaçu, os dois jogos estão previstos para São Januário, como 1.200 torcedores já tinha comprado ingresso para a partida de hoje, os mesmos serão ressarcidos pelo clube ou ganharão ingressos para outras partidas na competição regional.

(imagem retirada do portal Lance)