Crenças Limitantes e o Corpo

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Diversas são as leituras feitas em relação às emoções. O que temos como próximo a uma verdade, é que a dimensão afetiva ou emocional surge como uma dimensão subordinada ao pensamento no sentido de que sua tonalização e intensidade estão no controle do modo como as situações existenciais são percebidas e pensadas por nós. Nosso comportamento ou de outro indivíduo, têm, desde a menor expressão facial ao gestos mais expansivos, uma interpretação sob olhar da nossa emoção que interfere diretamente na percepção do mundo e das relações que nos cerca.

Nesse sentido, o controle e o conhecimento emocional, poderia ser matéria escolar, junto com a matemática e o português para aumentar a qualidade e habilidade de vida, sendo assim, hoje vamos falar de crenças limitantes e sua influência no corpo.

Em 2017 uma professora e Curitiba decidiu provar aos seus alunos os poderes positivo e negativo das palavras. Ela fez um experimento usando dois potes de arroz cozido. Para um, foram ditas palavras positivas e para o outro, negativas.
No pote “do amor”, o arroz fermentou naturalmente. No pote “do ódio”, os grãos emboloraram. A experiência da professora foi com base em um experimento do cientista japonês Masaru Emoto, que demonstrou em seu estudo que cada pensamento do ser humano gera uma emoção e uma reação bioquímica, o cientista congelou água em frascos de vidro com palavras escritas voltadas para o líquido. Depois, fotografou os cristais formados sob a influência das palavras negativas e positivas.

O resultado demonstrou que os mais belos cristais foram os que receberam palavras de amor e gratidão. O restante, que esteve diante de palavras de ódio e rancor, ficou completamente distorcidos.

Este experimento leva-nos a pensar sobre o que estamos falando e pensando, a isso chamamos de crenças, elas podem influenciar a vida que estamos vivendo. Somos feito de agua e sabendo que a água possui uma capacidade para absorver informação, é possível concluir a necessidade de reprogramar aquilo que ouvimos dos nossos pais, professores ou qualquer outra autoridade na nossa vida… Por último gostaria de observar que a postura do corpo, pode se modificar conforme as crenças que carregamos. Lembremo-nos sempre que uma retirada de óculos era suficiente para Clark Kent se tornar Super Homem, ou seja, pouca coisa de cada vez pode mudar a nossa expressão corporal e por conseguinte a nossas crenças que estão nos adoecendo.

Sobre Noory Lisias

Noory Lisias é fisioterapeuta, formada na Universidade Católica de Petrópolis, Mestra em Psicologia, especialista em Análises de Sistemas Corporais e com pós-graduação em Neuroanatomia Funcional no Método Bobath de Estimulação Neurológica e no Método Kabat, atuando há mais de 25 anos tratando lesões neurológicas e psicossomáticas.

Além de diversas outras especializações como:

  • Barras de Access | Facelift e Corporal
  • Low Pressure Fitness | LPF
  • Método Maitland
  • Pilates
  • Reeducação Postural Global | RPG
  • Aparelho Genital Feminino
  • Programação Neurolinguística | PNL
  • Proprioceptive Neuromuscular Facilitation | PNF (Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva)

YouTube: NooryLisias
Facebook: noorylisiasfisio
Instagram: @noorylisias
Site: noorylisias.com.br
https://linktr.ee/noorylisias

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Vamos falar de saúde

Todos nós já ouvimos falar sobre os malefícios das doenças, elas atormentam e destrói o corpo; Mas se eu te disser que adoecer é uma

Você rói unha?

Esse distúrbio tão comum, é comumente relacionado a ansiedade ou até a genética. Um novo estudo, porém, contesta essa afirmação ou pelo menos nos dá

O Humor e o Intestino

O coração que me perdoe, mas as borboletas de nervoso quando estamos amando, fazendo prova ou falando em público, não se formam no coração, mas na barriga.

Comentários estão fechados.