Foto: Thiago Lontra / Alerj

CPI do Gás pode ser prorrogada por 30 dias

Instalada em maio de 2019, a CPI do gás já realizou 16 reuniões

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que investiga a distribuição de gás no estado pode ser prorrogada por mais 30 dias. A determinação é do requerimento 197/20, que será votado, em discussão única, nesta terça-feira (08/12). Caso receba emendas parlamentares, o texto sairá de pauta.

O prazo para finalização da CPI era 18 de fevereiro deste ano. No entanto, devido à pandemia de coronavírus, a Mesa Diretora da Alerj suspendeu todos os prazos de funcionamento das comissões especiais e CPIs em atuação no Parlamento Fluminense.

Instalada em maio de 2019, a CPI do gás já realizou 16 reuniões, entre elas importantes oitivas com representantes das concessionárias de gás e da Agência Reguladora de Energia e Saneamento do Estado do Rio (Agenersa).

O presidente da CPI, deputado Max Lemos (PSDB), deu a seguinte declaração durante a instalação da comissão: “A produção não é um problema no estado, mas a distribuição é. Temos que entender porque a tarifa do gás é tão alta no Rio de Janeiro, inclusive mais cara que a cobrada em São Paulo. Não podemos esquecer que somos o maior produtor brasileiro. Precisamos entender algumas decisões que a Naturgy – empresa que distribui o gás na capital e na Região Metropolitana do estado – tomou e porque o serviço prestado à população é tão ruim”, afirmou o parlamentar.

O vice-presidente da CPI é o deputado Jair Bittencourt (PP) e o relator da comissão, deputado Rodrigo Bacellar (SD). Compõem como integrantes da CPI os deputados Rodrigo Amorim (PSL), Márcio Canella (MDB), Dionísio Lins (PP), Bruno Dauaire (PSC), Brazão (PR) e Val Ceasa (Patriota).

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Museus do estado propõem debate enquanto comemoram data especial

Programada para ocorrer a partir desta segunda-feira, dia 17, até domingo, dia 23, a 19ª Semana Nacional de Museus terá como tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar”, que propõe a reflexão sobre o futuro dos espaços, sem esquecer o compromisso criativo com o presente.