Foto: Divulgação/Governo Federal

CPI da Covid aprova banimento do presidente Jair Bolsonaro das redes sociais

Apenas o senador governista Jorginho Mello (PL-SC) anunciou voto contrário aos dois requerimentos.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Senadores da CPI da Covid-19 aprovaram, nesta terça-feira (26), dois requerimentos relativos às declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) associando a vacina contra a Covid-19 à Síndrome da Imunodeficiência Humana (Aids). Apenas o senador governista Jorginho Mello (PL-SC) anunciou voto contrário aos dois.

Um deles requer a transferência de sigilos, banimento ou suspensão de acesso às redes sociais e exige a retratação do presidente quanto às suas recentes declarações sobre a Covid-19 e HIV/Aids, sob pena de R$ 50 mil por dia de descumprimento.

O outro, requer o envio ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, relator do inquérito das Fake News, o conteúdo com a declaração de Bolsonaro para que ele tome “ciência da reiterada e flagrante conduta potencialmente criminosa do presidente da República”.

“Eu acho que o Congresso deveria se posicionar quanto a isso. É muito grave. A Presidência é uma instituição, não é um cargo de boteco que você fala o que quer como se estivesse tomando cerveja e comendo churrasquinho”, disse o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM). “Os fatos são maiores do que qualquer argumento que possa se escrever”, acrescentou.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.