Corpo de Bombeiros do estado do Rio de Janeiro implementa Serviço de Psicologia em Desastre

A iniciativa pioneira tem como objetivo principal preparar e apoiar psicologicamente os bombeiros para situações extremas que fazem parte da rotina do seu trabalho, principalmente nesse momento de pandemia.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) deu início ao “Serviço de Psicologia em Desastre”. A iniciativa pioneira tem como objetivo principal preparar e apoiar psicologicamente os bombeiros para situações extremas que fazem parte da rotina do seu trabalho, principalmente nesse momento de pandemia. O trabalho, previsto para ser realizado em três fases (preventiva, durante e após as ocorrências), teve início nos quartéis de São Gonçalo e Central.

  • Iniciamos a primeira etapa, chamada “Entre Nós”, cujo foco é abrir espaço para que o bombeiro possa compartilhar sentimentos e emoções. Para isso, trabalhamos várias temáticas relativas ao seu dia a dia em dinâmicas de grupo, dando voz e vez aos militares para que eles possam falar sobre coisas que não são externalizadas na rotina. Os encontros contam com uma equipe multidisciplinar que atua de acordo com a realidade de cada localidade e a necessidade do profissional envolvido – afirmou a coordenadora do programa, tenente-coronel Eliane Cristine.

O Serviço de Psicologia em Desastre vai percorrer várias cidades fluminenses até outubro, sempre realizando as atividades em dois quartéis por dia, com encontros que duram uma hora e meia. Segundo a tenente-coronel, os profissionais que atuam em equipes de emergências, em função da exposição a situações drásticas, além do perigo iminente e vulnerabilidade humana, precisam de atenção psicológica constante, pois são emocionalmente impactados. De acordo com a oficial, a saúde mental e o bem-estar dos bombeiros podem ser afetados potencialmente, favorecendo o risco de adquirir patologias psicológicas como Síndrome de Burnout, por exemplo, relacionada ao estresse, depressão, ansiedade e transtorno pós-traumático.

  • A gente tem uma premissa de que, para alcançar o cumprimento da missão, o profissional tem que estar bem preparado tecnicamente, fisicamente e psicologicamente. O nosso trabalho, principalmente nesse momento, é contribuir com o seu preparo emocional para o melhor desenvolvimento das tarefas e do cumprimento das missões. Esse é o objetivo da fase preventiva: preparar o militar para que, na hora que ele precise dar uma resposta rápida, possa conviver com as dificuldades e encarar as adversidades de forma mais equilibrada e saudável possível – explicou a psicóloga.

Pandemia – “Prioridades” é o nome dado ao projeto que acontecerá semanalmente em todos os quartéis do Estado. Nesse caso, a meta dos encontros é apoiar os bombeiros que vêm trabalhando diretamente com o contexto da pandemia. Ele contará com o suporte de profissionais de Saúde que esclarecerão dúvidas relacionadas ao assunto.

  • A iniciativa é fundamental para cuidar da saúde mental dos bombeiros. O objetivo é prepará-los psicologicamente para o enfrentamento de obstáculos, da exposição ao estresse e das dificuldades que eles encontram na rotina que, pela sua própria natureza, é permanentemente desafiadora. Em complemento ao trabalho realizado nos quartéis, lançamos também o Guia de Orientações em Saúde Mental, que inclui um capítulo que aborda questões relacionadas à pandemia e, em breve, estamos finalizando um outro guia relacionado ao autocuidado para este cenário – explicou o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do CBMERJ, coronel Leandro Monteiro.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.