Corpo de Bombeiros aponta que 98% dos incêndios em Petrópolis foram provocados por ação humana

Gerando grandes prejuízos à população e à natureza, o 15º Grupamento de Bombeiros Militar (GBM) apela para que a população se conscientize e denuncie a prática.

O número de incêndios em vegetação em Petrópolis apresentou queda de quase 25% neste primeiro semestre, se comparado ao mesmo período do ano anterior. Entretanto, a quantidade de casos ainda é assustadora, sendo contabilizadas 64 ocorrências no primeiro semestre. Gerando grandes prejuízos à população e à natureza, o 15º Grupamento de Bombeiros Militar (GBM) apela para que a população se conscientize e denuncie a prática.

Segundo o tenente-coronel Gil Kempers, comandante do 15º GBM, aproximadamente 98% dos incêndios em vegetação no município foram provocados por ação humana. Enquanto os outros 2% foram provenientes de fenômenos físicos que a própria natureza se encarrega de produzir, como os raios.

“No ano passado tivemos cinco incêndios decorrentes de pancadas de chuva, que resultaram na formação de raios. Os demais, foram ocasionados por pessoas, de maneira que poderiam ser evitadas, como queima de lixo e soltura de balões”, disse.

Durante todo o período de estiagem, comum entre os meses de maio e outubro, a preocupação é redobrada, principalmente na Região Serrana. Com a vegetação mais seca, a condição ao incêndio é sempre maior.

“Temos registrado média de quatro chamados de fogo em vegetação por dia. Essa estatística é considerada muito alta. Porém, um dos grandes problemas é que a área que hoje é queimada, amanhã é a mais propícia para escorregar, como nos deslizamentos que acontecem em Petrópolis durante os períodos de chuva. A partir do momento em que a estrutura do solo é modificada, ele passa a absorver mais água, ficando suscetível à erosão”, explicou o comandante.

De acordo com Gil Kemper, quase a totalidade das ocorrências causadas por ação humana são involuntárias, necessitando assim, de conscientização e mais esclarecimentos à população. “A pessoa coloca fogo para queimar lixo ou folhas, e acaba perdendo o controle da fogueira que, além da destruição das matas, ainda coloca em risco as residências, pessoas, animais e até a respiração dos que estejam próximos ao local”.

15º Grupamento de Bombeiros Militar (GBM) / Divulgação

Faça a sua parte

Após denúncia anônima, um homem foi conduzido nesta semana à delegacia, para prestar esclarecimentos sobre a formação de uma fogueira, que deu origem a um incêndio de grandes proporções, que atingiu cerca de 10 hectares de vegetação, na região do Cuiabá. A ação teve como resultado uma operação formada por quatro equipes do 15º GBM, que ainda precisou contar com o auxílio de uma aeronave no combate às chamas.

Na mesma semana, outro homem foi encaminhado à delegacia, após a queima de um mato nos fundos de sua residência atingir cinco hectares de vegetação, no Jardim Salvador. Assim como no caso anterior, os autores foram encontrados graças às denúncias anônimas.

“Além do custo operacional muito grande, ainda coloca a população em risco. Precisamos do apoio de cada cidadão. Não adianta desdobrarmos equipes, aumentar o efetivo e colocar aeronave, se não houver a conscientização. Caso tenha registrado um incêndio ou alguém soltando balões ou fazendo fogueiras, comunique às autoridades competentes”, concluiu o tenente-coronel.

Em casos de denúncias, basta ligar para o 190 ou 193. Além disso, a população pode contar com a Secretaria de Meio Ambiente, através do telefone (24) 2246-9241, de segunda a sexta-feira, de 12h às 17h.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também