Capacitar e reinserir detentas na sociedade por meio do empreendedorismo. Este é o propósito de um projeto que promoveu a criação de uma cooperativa de artesanato dentro da Penitenciária Feminina II de Tremembé, no interior de São Paulo. A partir da capacitação e do apoio a detentas para desenvolverem seus produtos e administrarem o negócio, inclusive após a saída da prisão, a cooperativa começou a vender artigos como colchas, bolsas e almofadas em outubro, após o lançamento da marca Tereza, por meio da qual a produção das internas será comercializada.

A cooperativa é integrada por um grupo de 30 presidiárias, que participaram de uma série de oficinas com o designer e tecelão Renato Imbroisi, especializado em criar produtos de artesanato com comunidades no Brasil e na África. A proposta foi ajudá-las a desenvolver suas habilidades e agregar valor aos produtos, todos confeccionados com matéria-prima e acabamento de alta qualidade.  

A iniciativa foi idealizada pelo Instituto Humanitas360 (H360), que investiu R$ 1 milhão na compra de equipamentos e capacitação, e teve como instituições parceiras a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, o Conselho da Comunidade da Vara da Execução Criminal de Taubaté e a Assessoria Especial para Assuntos Internacionais do Estado de São Paulo. Atuando como uma incubadora de startups formadas dentro de prisões, o H360 fornece às cooperativas capital semente, capacitação técnica e apoio ao desenvolvimento do modelo de negócio, garantindo que 100% da renda gerada seja transferida para os detentos e ex-detentos cooperados.

Em paralelo ao apoio na criação dos artigos, a maioria itens de cama e mesa, o Instituto também trabalhou na criação da marca Tereza. Na gíria dos presídios, Tereza é uma corda improvisada, feita com lençóis amarrados, usada em tentativas de fuga. Com o lançamento da marca, realizado em um leilão beneficente com a presença de nomes como Luciana Gimenez, Gloria Kalil e Bob Wolfenson, entre outros, transformou-se em sinônimo de produtos exclusivos, com a missão de garantir que os presos nunca voltem ao cárcere. Com branding desenvolvido por André Poppovic, da OZ Design, Tereza já conta com site para venda dos produtos no endereço www.tereza.org.br e está nas principais redes sociais.

 

Foto: BOLSA de lona com flores de crochê – R$ 320,00