Incentivados pelo Trote Cultural Solidário, criado pela Universidade Federal Fluminense em 2001, alunos da Escola de Engenharia de Petrópolis (UFF) arrecadaram mais de 200 quilos de alimentos e cerca de mil peças de roupas durante uma gincana promovida pelo Diretório Acadêmico (DA) no mês de abril. Os donativos foram recolhidos em alguns bairros de Petrópolis, que ficam nas adjacências do campus, localizado no Quitandinha, e repassados à Organização Não Governamental (ONG) Sal para Terra, na manhã desta quinta-feira (26).

O Trote Solidário tem como objetivo gerar impacto positivo para a sociedade, além de se tornar uma alternativa aos trotes convencionais. Com foco na cidadania, respeito à vida e cuidado com o meio ambiente, suas ações visam a preparação dos alunos não só para a formação de nível superior, mas também para sua consciência social e participação na construção de um Brasil mais justo.

“Este projeto traz inúmeros benefícios para todos. As entidades são beneficiadas e podem ajudar os mais necessitados, já os alunos, professores e funcionários compartilham da satisfação em participar de um gesto tão nobre”, destaca a professora Ercilia de Stefano, que acompanhou os universitários durante a entrega dos donativos.

Para o estudante Alessandro Lima, aluno do 2° período do curso de Engenharia de Produção, o Trote é uma oportunidade de interagir com os novos alunos e estimular o espírito de solidariedade em prol dos mais necessitados “É uma ocasião bem legal para conhecermos os calouros, praticando o bem e estimulando todos os estudantes a participarem de ações sociais, tendo assim, a conscientização de exercer suas futuras profissões de forma responsável e humanizada. Além disso, é uma forma de contribuirmos também com a formação dessas crianças assistidas pela Sal para Terra e tantas outras organizações”, pontua.

“A doação e a visita que recebemos dos alunos da UFF Petrópolis é de extrema importância para mantermos nossos serviços e, principalmente, para fomentarmos os sonhos dos nossos alunos, mostrando assim que, apesar da atual situação em que eles vivem, é possível ingressar em uma universidade’, destaca Adilson Malaquias, presidente da ONG.

Fundada em 1999, a ONG Sal para Terra tem a missão de prevenir, gratuitamente, a criminalidade e atuar na formação social, profissional e espiritual de crianças e adolescentes em risco social. Diariamente 110 alunos, entre meninos e meninas, de 6 a 17 anos, participam das atividades disponibilizadas pela instituição, como aulas de inglês e espanhol, música, judô, informática, entre outras. Além disso, são servidas em média, 252 refeições por dia, totalizando quase seis mil refeições por mês. Os interessados em conhecer e ajudar a ONG, podem entrar em contato através do telefone (24) 2291-5018 ou comparecer a sede, situada na Rua Felipe Camarão, n° 435, no bairro Retiro.

Fonte: UFF Petrópolis

Crédito da foto: Divulgação / UFF Petrópolis