A luta pelo empoderamento feminino revela várias questões desafiadoras para os antigos paradigmas impostos pela sociedade. O respeito mútuo com pessoas de diferentes cores, crenças ou estilos não teria nem que ser discutido, mas infelizmente não é tão fácil assim. Causas sociais que ganham força nas ruas e nas mídias com um só objetivo: fazer valer a diversidade.

Foi pensando nesse conceito que Luana Grotz decidiu realizar o projeto fotográfico “5 mulheres”, em Petrópolis. Tendo em vista que o movimento acontecia em outras cidades, como o Rio de Janeiro e São Paulo, a cúpula petropolitana que está por trás das câmeras decidiu fazer diferente. As modelos escolhidas não passaram por nenhum processo seletivo, além de serem diferentes em cada traço corporal.

Indo de encontro aos princípios conceituais dos diferentes pontos de vista através dos cinco olhares de cada click, um sítio particular com diversos ângulos servirá de cenário para os registros fotográficos. Para isso, as fotogênicas com características distintas, foram escolhidas para expressarem o que há de melhor em si, no próximo dia 16.

“Escolhemos a dedo cada pessoa que irá participar do projeto. Além dos cinco fotógrafos, que terão a liberdade de circular por todo o sítio, cinco mulheres vão participar dos ensaios feitos por olhares diferentes”, comentou Luana, idealizadora do projeto na cidade imperial.

As participantes do shooting foram escolhidas por ter o poder de influenciar seus respectivos públicos através das suas mídias sociais, em especial no Instagram. Cada uma têm suas singularidades perceptíveis, desde a forma como se vestem até as poses perante os posts.

Angélyca Meira (@_angelycameira), Fernanda Barcelos (@nanakilt), Giullia Souza (@giullia_cs), Josiane Carvalho (@josi_carvalh) e Kika Rocha (@_kikarocha) são as cinco personalidades que ficarão frente às lentes para fazerem valer a diversidade entre culturas, etnias e curvas femininas.

“Acredito que para todos os envolvidos este projeto tem uma mensagem que vai nos ajudar a compreender o olhar de cada fotógrafo, a estética da diversidade e a admiração pelo que é excêntrico”, disse Giullia ao ser perguntada sobre o que o projeto representa.

A missão de exaltar a beleza feminina foi condecorada para pessoas que sabem como explorar os diferentes fundos que o sítio proporciona. Cada fotógrafo ficará responsável por uma etapa do cronograma do ensaio que terá aproximadamente 5 horas de duração. Com isso, cada olhar estará direcionado em uma só mulher, a cada hora do evento.

Os responsáveis pelos registros terão uma baita missão, mas ao mesmo tempo farão arte com as próprias mãos. Any Pessoa (@transparencias2018), Cadu Dias (@cadudiasfotografia), Henry Kappaun (@henrykappaun), Tom Justen (@tomjusten) e Vinícius Sampaio (@vsphotografia) serão os responsáveis pelos clicks.

Larissa Grotz, irmã da Luana, foi quem cuidou dos melhores parceiros para que o projeto pudesse ser concretizado da forma como foi pensado. Além dos profissionais fotográficos, até uma loja de roupa íntima participará do dia de ensaios. Após ser concretizado, os ensaios devem gerar resultados magníficos e Larissa sabe o que fazer com cada um deles.

“A ideia é dar continuidade ao projeto promovendo uma exposição com o resultado do shooting e organizar um desfile para evidenciar o trabalho de todos os envolvidos na ação” – projetou Larissa.

O projeto não consiste em formato de franquia, entretanto a ideia pode ser explorada nos quatro cantos do mundo, com as diferentes percepções visuais de acordo com as propostas apresentadas.

Você confere o making off completo do shooting no Instagram do projeto 5 mulheres“.