Conheça as principais manias e o “vocabulário” de um petropolitano

E você? Quais as manias, bordões e figurinhas carimbadas que conhece na Cidade Imperial?

Quem nunca marcou com um amigo de “dar um pulo na vinida” ou “ir à cidade” em um horário enigmático, como “dez pra hora”? Antes de sair de casa, mesmo que a temperatura esteja registrando 40°C, o ideal é manter uma blusa de frio e o guarda-chuva na bolsa, pois, mesmo nas ocasiões mais improváveis, a chuva e o “ruço” invadem a Cidade Imperial. Com seus vocabulários próprios e manias que só o petropolitano tem, é evidente que “quem pensa que é feliz em outra terra é porque ainda não viveu aqui”.

Na boca do povo, ficam nítidas as principais manias de quem mora na Cidade de Pedro. “Em dias de chuva, andar com a sombrinha aberta debaixo da marquise”, disse um morador. “Moro em Itaipava, mas quando preciso utilizar a região central, digo que vou à Petrópolis”, contou outra pessoa.

Além disso, quem nunca “apreçou o preço” de algum produto nas dezenas de farmácias instaladas lado a lado no Centro Histórico? Ou então, comprou uma pipoquinha do “Chora que a mamãe paga”, ou então da “amiguinha”, que vende sua mercadoria no ponto de ônibus do Itaipava. Falando em alimento, muitos já sentem falta do “É pacumê”, que pedia os “cinquenta centarros” para tomar café.

Manias, vocabulários e figurinhas carimbadas. Entre elas, o “Anjo Gabriel” e suas mensagens de conforto e esperança em dias difíceis. Inclusive, os personagens marcantes também se sobressaem no mundo animal. Afinal, quem nunca viu as capivaras ou os cavalos circulando pelas principais vias da cidade?

Ainda falando sobre as ruas, o petropolitano pode visitar diversas cidades e até outros países, sem sair de Petrópolis. Provavelmente, alguém já visitou algumas ruas do Quitandinha, que levam alguns nomes conhecidos de algumas localidades. Se por um lado, tal criatividade, do outro, uma alternativa. Isso, porque algumas ruas são denominadas por números, como no Castelo São Manoel, a “Rua 7”.

Sobre os bairros, não podemos deixar de registrar um erro comum na cidade. Bairros como o Bingen, é chamado por muitos de “Bingi”. Enquanto o “Morin”, deve ser chamado de “Moren” durante a pronúncia.

Falando sobre a nossa cidade, não podemos deixar de lembrar que a maioria das festas elaboradas no município são alvo de reclamações da população. Porém, quando elas acontecem, os mesmos que reclamam são os primeiros a participar e ainda postar foto nas redes sociais. Ainda ressaltando o orgulho de morar por aqui, os petropolitanos têm a mania de reclamar do município. Com amigos de outras cidades, apontamos Petrópolis como o “lugar dos sonhos”.

Por fim, mesmo com o frio em todas as épocas do ano, muitos não deixam de realizar os exercícios diários, como correr na “Barão”. Na ocasião, coloque a roupa esportiva e fique à vontade. Porém, se for “à cidade”, nunca utilize chinelo de dedo, pois você pode ser visto com maus olhares.

E você? Quais as manias, bordões e figurinhas carimbadas que conhece na Cidade Imperial?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também