Como se prevenir da dengue

Entenda como o vírus da dengue é transmitido, como estão os casos no Brasil e o que fazer para se proteger
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Em tempos de pandemia de Covid-19, uma série de outras doenças passaram a ser menos noticiadas em diversos países. No entanto, elas ainda representam um grande risco à população mundial. No Brasil, por exemplo, um dos maiores problemas de saúde pública atualmente vem de uma velha conhecida: a dengue.

Aedes aegypti: onde tudo começou 

Registrada pela primeira vez em território nacional entre os séculos 19 e 20, a dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), esse pequeno inseto é originário do Egito e vem se espalhando pelas regiões tropicais e subtropicais ao redor do mundo desde o século XVI. 

Em solo brasileiro, o Aedes aegypti já causava transtornos antes da dengue se tornar uma epidemia no país e o primeiro surto ser oficializado. Isso porque o mosquito também é responsável por transportar o vírus causador da febre amarela.

Na década de 50, o Brasil chegou a erradicar o inseto por conta das medidas preventivas adotadas para conter a febre amarela. Porém,  pouco tempo depois, com o relaxamento dessas medidas, o Aedes foi reintroduzido por aqui e, desde então, se alastrou por todas as regiões brasileiras de forma contínua, além de transmitir outras doenças como chikungunya e zika.

O que fazer para controlar esse mosquito?

O número de casos de dengue vem aumentando expressivamente no Brasil desde o início de 2022. O Ministério da Saúde divulgou que, entre janeiro e abril deste ano, mais de 540 mil casos da doença foram notificados. Nesse mesmo período, foram registradas mais de 14 mil internações em todas as regiões do país. 

Para evitar a doença, uma das principais medidas de prevenção deve ser conter a proliferação do Aedes aegypti. Veja o que você pode fazer para contribuir e proteger a sua saúde e a de toda a sua família:

  1. Utilize repelente e cubra a maior parte do corpo com roupas claras quando possível, pois elas que ajudam a identificar o inseto com maior facilidade;
  2. Coloque telas em janelas e portas e, se tiver, use mosquiteiros; O mosquito possui hábitos diurnos, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. Por isso, é importante reforçar a atenção neste período, mantendo também o cuidado à noite.
  3. Tampe caixas d’água, piscinas, ralos, vasos sanitários, pneus, garrafas e outros tipos de reservatórios; O Aedes aegypti coloca seus ovos em água limpa, seja ela potável ou não. Por isso, é importante redobrar a atenção aos locais com água parada. 
  4. Deixe as lixeiras bem tampadas; Dessa forma, você evita que seu lixo obstrua valas, valetas, margens de córregos e riachos e, consequentemente, acumule água.
  5. Colocar areia nos pratos de plantas; O uso de pratos nos vasos de plantas pode gerar acúmulo de água. Você pode: eliminar esse prato, lavá-lo regularmente ou colocar areia –  que ajuda a conservar a umidade e, ao mesmo tempo, evita que o local se torne um criadouro de mosquitos.
  6. Limpe as calhas;
  7. Limpe com sabão a bandeja externa da geladeira;
  8. Limpe e guarde as vasilhas dos bichos de estimação;
  9. Limpe a bandeja coletora de água do ar-condicionado;
  10. Cubra bem a cisterna;
  11. Tome vacina.

A vacina contra a dengue é feita com vírus atenuados e está disponível no mercado no formato tetravalente, ou seja, protege contra os quatro sorotipos de dengue existentes. Além disso, ela possui a estrutura do vírus vacinal da febre amarela, ou seja: dá mais estabilidade e segurança.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.