A cada ano surgem inúmeras novidades, com isso é importante que o empresário do setor de combustíveis esteja atento a elas, não somente a fim de evoluir no seu negócio, mas também para que possa atender melhor às necessidades de seu cliente. Hoje, a tecnologia é temporal, conforme a sociedade muda, tendências são lançadas e consequentemente aplicadas nos postos.

Com tantas mudanças à vista, é compreensível que haja uma confusão em como e por onde começar a empregar esses aperfeiçoamentos. Para resolver essa questão, listaremos a seguir as alterações mais pertinentes à área.

Em primeiro lugar, é importante que seu posto seja antenado e preocupado com o futuro. Demonstrar que há uma preocupação em seguir novas regras e descobertas tecnológicas, fará com que o seu negócio seja reconhecido pela consciência e engajamento. Tradição aliada à modernização é a recente linha de pensamento de empresários renomados.

Partindo para a parte técnica. Há muito tempo sabe-se que os postos de combustíveis veem realizando estudos com o objetivo de reduzir a contaminação de solo. Com a rotina, é comum haver restos de óleo de veículos e de gasolina no chão, e assim prejudicando o meio ambiente. Para amenizar e futuramente inibir essa contaminação, foram implantadas plantas herméticas nas superfícies. O sistema evita que os líquidos contaminantes penetrem na parte subterrânea, mantendo o local limpo e livre de materiais tóxicos.

Outra responsabilidade que em breve será adotada, mais especificamente em 2019, será a implantação de bombas com recuperação de vapores, para que diminua a contaminação do ar, que hoje, no Brasil, ainda é recorrente, principalmente nas grandes metrópoles. Tal medida, que já é comum nos Estados Unidos e México, em nosso país terá adaptação de 15 anos.

Além de sinalizar uma preocupação com o meio ambiente, a ação demonstra um cuidado com os funcionários,  principalmente os frentistas que inalam o odor diariamente e também com os clientes, que consequentemente pelo uso necessário, acabam sendo afetados.

O monitoramento preciso de combustível também pode ajudar no processo de desenvolvimento tecnológico de um posto de combustíveis. Um posto que conta com um sistema de medição de tanques  de combustível impreciso coloca em risco toda sua operação. Isso ocorre porque o único controle que se tem, quando não há o uso de um sistema automatizado de posto, é a seta do caminhão. Diante deste cenário, infelizmente, temos uma série de relatos de descarga de combustível que não são realizadas de maneira honesta, o que acaba impossibilitando um gerenciamento eficiente

Uma estratégia que vem sendo adotada por muitos postos para tornar mais eficiente o monitoramento de combustível é o uso de um sistema automatizado.

O módulo de reconciliação, por exemplo, é uma função disponível em alguns sistemas de medição de tanques que mostra a diferença de combustível que se tem no final do dia, ao cruzar os dados de venda e entrega com o estoque atualizado.

Vale lembrar ainda, dentro do tema tecnologia, que o planejamento da descarga pode melhorar a operação do posto. Ao não conseguir planejar a descarga corretamente, o proprietário do posto está automaticamente correndo o risco de perder estoque e ficar sem o produto disponível. Desta forma, a margem de erro no processo de medição  de combustível afeta diretamente a operação do posto, impactando o fluxo de compra e venda do produto. Vale lembrar que estoque é dinheiro.

Por todas essas razões devemos tornar a tecnologia uma aliada poderosa do sistema de gestão dos postos de combustíveis no Brasil.

*José Fernandes é administrador, empresário e  presidente da CSMEPS – Câmara Setorial de Máquinas e Equipamentos para Postos de Serviços e Soluções de Abastecimento