Após a passagem dos blocos e do desfile da sexta-feira (9) que marcaram o início do Carnaval carioca, a Comlurb recolheu 40, 5 toneladas de resíduos. No Sambódromo foram 32,5 toneladas, sendo 2,25 t de material reciclável,  e nos 22 blocos que saíram, além dos não autorizados, foram removidas mais de 8 toneladas. O Bloco das Carmelitas, Zona Sul, produziu 2,8 t, na Zona Oeste, o Meia Dúzia de Gatos Pingados produziu 400 Kg e na Zona Norte o bloco Loucura Suburbana gerou 373 Kg e os blocos Sorveteria e Piranhas do Jefinho, 810 Kg.  Já o Rola Preguiçosa, tarda mas não falha, da Zona Sul, 1,85 t. O programa Lixo Zero multou 116 foliões até às 18 horas, sendo 49 pessoas multadas por urinar nas ruas e 67 por descarte irregular de pequenos resíduos. As equipes do Lixo Zero fiscalizaram os blocos até às 22 horas.

Para garantir que tudo fique no primeiro dia de desfiles das escolas da Série A, a Comlurb destacou 715 garis com apoio de 40 equipamentos e máquinas para limpeza e manutenção de toda área interna do Sambódromo, como corredores, frisas, arquibancadas e pista (durante os desfiles, desde a concentração até dispersão), lavagem dos contêineres, coleta de resíduos, limpeza dos postos médicos, do Terreirão do Samba e de todo o entorno. A limpeza da Passarela do Samba é sincronizada e foi ensaiada para mais uma vez fazer sucesso toda vez que a equipe de garis da Comlurb evolui na pista.

 

Blocos

A logística de limpeza do Carnaval de Rua baseada no Protocolo de Blocos começou no pré-carnaval e continua evoluindo até o encerramento da festa no dia 18 de fevereiro. O protocolo  define o quantitativo de mão de obra, contêineres, equipamentos e veículos de acordo com o tamanho do bloco, garantindo maior eficiência e agilidade aos serviços. O sistema de limpeza contará com até 1.100 garis por dia; 2.100 contêineres, 100 sopradores, 20 vaporizadores, além de 50 veículos entre caminhões compactadores, caminhões-pipas, carros lava a jato, caminhões basculantes, mini varredeiras, varredeiras mecânicas e mini basculantes.

A operação de limpeza para atender a folia nas ruas é diferenciada, com sistema de manutenção permanente durante a evolução do bloco até sua dispersão e instalação de contêineres ao longo de todo o trajeto para estimular os foliões a jogarem o lixo no local adequado. Com a saída dos foliões é realizada a remoção dos resíduos com sopradores e modo força tarefa, com os garis fazendo o repasse, além de lavagem das pistas com água de reuso e desodorizante. Os acessos, transversais, concentração e trajeto do desfile do circuito dos blocos também receberão atenção da Companhia.

De acordo com o Protocolo, blocos de grande porte, como o Cordão da Bola Preta, que vai desfilar amanhã, sábado, dia 10, no Centro, por exemplo, podem contar com até 260 garis, 600 contêineres e 17 veículos e equipamentos.  Outros blocos que desfilam no sábado também terão grande número de foliões como a Banda de Ipanema;  o Bloco da Favorita, o Empolga às 9 e a Banda Sá Ferreira, que vão desfilar em Copacabana; o Carrossel de Emoções, na Barra da Tijuca; o Céu na Terra, em Santa Teresa; o Bloco do Barbas, em Botafogo e o Cordão da Alegria da Tijuca; Vem que eu te carrego, na Praça Mauá, entre outros.  A Comlurb estará presente agilizando a limpeza em todas as ruas.

 

Lixo Zero

Os foliões que vão brincar no Carnaval de Rua devem ter  cuidado com os pequenos resíduos irregularmente descartados e evitar urinar nas calçadas, vias e canteiros. O Programa Lixo Zero não vai parar durante os dias de folia e fiscalizará os maiores e os mais importantes blocos da cidade.

As equipes do Lixo Zero, formadas por 210 agentes de fiscalização da Comlurb e 140 guardas municipais, atuarão nos blocos, nas ruas dos desfiles e no entorno. Caso o folião seja pego em flagrante urinando em via pública pelas equipes de fiscalização, será passível de multa no valor de R$ 563,30, conforme o novo Artigo 103-A da Lei de Limpeza Urbana. Para descarte de pequenos resíduos, o valor da multa é de R$ 205,60.

Fonte: COMLURB