O serviço de corte e podas de árvores segue sendo realizado pela Comdep. A Secretaria de Meio Ambiente realiza vistorias das árvores e pede autorização para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Neste segundo semestre, já foram emitidos laudos para remoção de 117 e poda preventiva de 211 árvores. O trabalho foi feito após o setor de paisagismo promover a reposição com 380 mudas.

A autorização para corte ou poda são feitas para árvores secas ou mortas. O objetivo é evitar que galhos ou troncos acabem caindo e atinjam pedestres ou veículos. Em junho, técnicos da Secretaria de Meio Ambiente indicaram a necessidade da remoção total ou da limpeza de erva-de-passarinho – planta que suga os nutrientes das árvores e deixa os troncos secos.

“A preferência é sempre pela poda preventiva. Mas se os técnicos constatam que a degradação dos troncos das árvores está em um estágio avançado, é recomendado a retirada completa para evitar o risco de queda e de acidentes”, explica o secretário de Meio Ambiente, Fred Procópio.

Nesta quinta-feira (28.12), por exemplo, houve podas na Rua Dr. Sá Earp e também no Gulf. Locais como Av. Koeler, Av. Ipiranga, ruas da Imperatriz, Manuel Afonso, Buenos Aires e Av. Kennedy, entre outros, também já receberam o trabalho.

O Iphan determina que para que uma árvore seja removida, é necessário fazer reposição. Por isso, antes de começar o serviço, o setor de paisagismo da Comdep realizou o plantio de magnólias, pau-brasil, ipê amarelo e de árvores frutíferas, como mangueira, cerejeira e acerola em todos os locais onde são feitos cortes.

“O trabalho é todo orientado pela Secretaria de Meio Ambiente e autorizado pelo Iphan. Após as autorizações necessárias, a Comdep realiza o corte ou a poda, que são importantes para dar segurança para as pessoas e não gerar qualquer tipo de prejuízo material”, diz o presidente da Comdep, Wagner Silva.