As imagens do Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) ajudaram a 106ª Delegacia de Polícia, em Itaipava, nas investigações que culminaram na prisão de uma quadrilha responsável por roubos a residências na Região Serrana e de carga na baixada Fluminense. As prisões foram feitas durante a Operação Diamante, realizada em São João do Meriti, Realengo e Xerém. As câmeras foram usadas como parte do material probatório de um roubo realizado em Itaipava, na madrugada da última quarta-feira (27.06).

Nesse dia, um casal foi feito refém por mais de uma hora durante um assalto na localidade Jardim Americano, que fica na Estrada Philuvio Cerqueira, que liga Petrópolis a Teresópolis. Os bandidos levaram joias, aparelhos de TV, videogames, vidros de perfume importados, relógios e cerca de R$ 4 mil, três mil euros e três mil dólares.

Na fuga, eles passaram de carro e foram flagrados pelas câmeras que ficam próximo ao Terminal e do Parque Municipal de Itaipava. Foi pelas imagens que a polícia conseguiu identificar dois veículos utilizados para fazer escolta dos criminosos – e partir disso, foram identificados dois dos autores do assalto.

“Foi fundamental a utilização das câmeras do Ciop para a identificação dos carros que estavam envolvidos no assalto. Já tínhamos uma investigação anterior para identificação da autoria dos crimes e as câmeras auxiliaram para que identificássemos os dois carros “batedores” do crime. Inclusive um deles a gente não tinha a identificação e conseguimos saber quem era o proprietário, que confessou que participou mesmo do crime. Dessa forma, foi ótimo, porque nós apreendemos os veículos e as imagens corroboram a nossa investigação, quando a gente comprova os carros que estavam sendo utilizados na prática criminosa”, explica a delegada da 106ª DP, Juliana Ziehe.

Na operação, dois homens foram presos temporariamente por roubo qualificado e associação criminosa e um terceiro foi preso em flagrante por porte de arma de fogo com numeração raspada. Um quarto rapaz foi conduzido com o carro “batedor” e teve a prisão temporária decretada pelo plantão judiciário.

Este é o primeiro caso elucidado pela Polícia Civil com participação fundamental do Centro Integrado de Operações de Petrópolis. O Ciop conta com 56 câmeras em 46 locais na cidade e ficam a serviço das forças de segurança – Guarda, PM e delegacias –, além de CPTrans, Defesa Civil e Bombeiros. Inaugurado na última segunda-feira (25.06), o equipamento já estava em funcionamento desde maio 24 horas por dia.

“Este caso mostra exatamente uma das funções do Ciop. Além de poder fazer o flagrante de um crime e permitir atuação de imediato, ele também pode ajudar a investigação para tirar criminosos da rua. Essas prisões feitas com ajuda das câmeras mostram o tamanho do benefício que toda a população já tem à disposição com esse equipamento”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.