CGU e PF combatem fraudes na aplicação de recursos federais em Araguaína (TO)

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Controladoria-Geral da União (CGU) participa, nesta quinta-feira (27), no estado de Tocantins, da Operação Dose para Leão. O trabalho, realizado em conjunto com a Polícia Federal (PF), tem por objetivo apurar ocorrências de superfaturamento e desperdício de insumos médico-hospitalares e odontológicos na Secretaria de Saúde de Araguaína (TO), adquiridos com recursos repassados pelo SUS.

Constatações

A investigação teve início após denúncia sobre irregularidades ocorridas no Centro Logístico da Prefeitura Municipal, tais como o descontrole nas compras de insumos e medicamentos, o que gerou perdas por vencimento dos prazos de validade de diversos produtos, bem como a aquisição desnecessária de diversos itens com baixa rotatividade.

Também foi constatado o superfaturamento em diversos itens adquiridos pela Secretaria de Saúde, chegando a 400% em alguns casos, assim como a existência de produtos adquiridos por preços inexequíveis, ou seja, abaixo do preço de custo, o que gera suspeitas sobre a utilização do artifício denominado “jogo de planilha”.

Os valores dos contratos firmados pela prefeitura com as empresas envolvidas na investigação somam cerca de R$ 12,5 milhões.

Diligências

A Operação Dose para Leão consiste no cumprimento de 12 mandados de busca e apreensão, nos municípios de Palmas (TO), Araguaína (TO), Goiânia (GO) e Aparecida de Goiânia (GO). Os trabalhos contam com a participação de seis auditores da CGU e de 50 policiais federais. 

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.