Foto: Divulgação

Cerca de 85% dos óbitos maternos por Covid-19 ocorreram antes da vacinação

O dado foi levantado durante uma reunião realizada na Alerj, na última sexta-feira (27).
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Comissão de Representação para Acompanhar o Cumprimento das Leis (Cumpra-se), da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), realizou audiência pública na sexta-feira (27) para discutir políticas públicas de combate à mortalidade materna, além de verificar o cumprimento das leis de parto humanizado no Rio.

Durante a reunião, a coordenadora do Observatório Obstétrico Brasileiro do Ministério Público (MP-RJ), Ágatha Rodrigues, revelou que foram registradas 1.519 mortes maternas causadas pela covid-19, e 85% dos óbitos (1.266) aconteceram antes do início da vacinação.

“A partir do momento que a população materna começou a ser vacinada, nós monitoramos os dados dessa vacinação. Verificamos quantas gestantes e puérperas foram vacinadas com primeira e segunda doses. Com essa pesquisa, identificamos que, dentre as gestantes que estavam internadas com covid, a chance da mulher que não tinha tomado nenhuma dose da vacina ir a óbito era cinco vezes maior em relação àquelas que tomaram a vacina. A pandemia agravou a situação, mas nós já enfrentávamos um sistema de saúde precário”, explicou Ágatha.

Os participantes da reunião fizeram diversas sugestões para acrescentar à legislação fluminense. Entre os pontos apresentados estão a implementação do estudo de fisiologia nas escolas; a restrição dos médicos que atuariam mais nos casos de médio e alto risco, deixando as enfermeiras obstétricas responsáveis pela realização do parto em casos sem risco; a implantação da Roda de Gestantes em todos os municípios fluminenses; além da regulamentação do parto humanizado domiciliar.

A presidente do Conselho Estadual de Direitos da Mulher (CEDIM), Edna Calheiros, também cobrou a conclusão das obras do Hospital da Mãe, localizado no bairro Colubandê, em São Gonçalo.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.